Slack remove 28 contas relacionadas a grupos de ódio na internet

Por Renato Mota | 14 de Março de 2019 às 23h30
Slack/Divulgação
Tudo sobre

Slack

Saiba tudo sobre Slack

Ver mais

O Slack removeu, nesta quinta-feira (14), 28 contas “por causa de sua clara afiliação com grupos de ódio conhecidos”, divulgou a empresa em um comunicado em seu site oficial. Não foi informado, entretanto, que grupos eram esses ou quais atividades eram realizadas na plataforma.

Utilizado como plataforma de produtividade e comunicação – tanto por grupos de pessoas quanto por empresas – o Slack oferece recursos como salas de chat organizadas por tópico, grupos privados e mensagens diretas. A empresa oferece um plano gratuito, no qual as 10 mil mensagens mais recentes podem ser visualizadas e pesquisadas, incluindo arquivos, conversas e pessoas.

“O uso do Slack por grupos de ódio vai contra tudo o que acreditamos e não é bem-vindo em nossa plataforma”, afirma o comunicado da empresa. “Usar o Slack para encorajar ou incitar o ódio e a violência contra grupos ou indivíduos por causa de quem eles são é antitético aos nossos valores e propósitos”, completa a mensagem.

Empresas que oferecem serviços semelhantes ao Slack, como o Discord, já vêm trabalhando para tomar medidas contra o discurso de ódio. Outras empresas que provém serviços online, como Facebook, Google, GoDaddy, GoFundMe, Reddit, Uber e YouTube têm feito o mesmo – enquanto o Slack era uma ausência notada.

“Quando tomamos conhecimento de uma organização que usa o Slack para fins ilegais, prejudiciais ou outros fins proibidos, investigamos e tomamos as medidas apropriadas e estamos atualizando nossos termos de serviço para tornar isso mais explícito”, afirma o comunicado da empresa.

Fonte: Slack e The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.