Publicidade

Polícia descobre identidade de um dos perfis do "Homem Pateta" em SP

Por| 14 de Julho de 2020 às 18h10

Link copiado!

Polícia descobre identidade de um dos perfis do "Homem Pateta" em SP
Polícia descobre identidade de um dos perfis do "Homem Pateta" em SP

Na última sexta-feira (10), a residência de um garoto de 12 anos na cidade de Sorocaba, interior do estado São Paulo, foi alvo de mandado de busca e apreensão da Polícia Civil de São Paulo. Segundo a Record TV, a polícia suspeitava que o jovem atuava, nas redes sociais, como responsável por um dos perfis do personagem "Homem Pateta". Com desafios de automutilação e suicídio, a conta ameaçava outras crianças através de aplicativos de mensagens — como nos casos da Baleia Azul e da Boneca Momo.

Os perfis do "Homem Pateta", que não possuem, necessariamente, uma ligação entre si, usam a imagem de um homem fantasiado como o personagem da Turma do Mickey, conhecido programa da Disney, com o nome fictício de Jonathan Galindo.

Desde o mês de junho, pelo menos três estados já tinham registrado casos relacionados ao uso do personagem "infantil" em perfis que colocam em risco a saúde de crianças. Além de São Paulo, as polícias dos estados de Santa Catarina e Mato Grosso do Sul estavam cientes da situação.

Continua após a publicidade

Caso de Sorocaba

Segundo informações da polícia, o autor do perfil fazia amizade com crianças e alegava conhecer as famílias, além de dar detalhes sobre onde moravam. Inclusive, enviava mensagens alertando que algo de mal aconteceria caso a vítima não aceitasse o desafio proposto. No entanto, familiares de crianças que receberam as mensagens procuraram a polícia e, dessa forma, chegaram ao garoto em questão.

O jovem confessou o fato de enviar mensagens pelo perfil do "Homem Pateta", mas explicou se tratar "apenas de uma brincadeira". O garoto foi liberado, no entanto, o celular do autor das ameaças está apreendido pela polícia e uma perícia será realizada no aparelho, dando continuidade ao inquérito que corre na Delegacia Seccional de Sorocaba.

O Canaltech está no WhasApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Agora, a investigação será enviada à Vara da Infância e Juventude, onde o adolescente pode responder por atos infracionais (menores de 18 anos são inimputáveis no país) como ameaça e instigação ao suicídio. "A investigação realizada demonstra que não existe anonimato na internet e reforça que a Polícia Civil é o filtro permanente da justiça e da legalidade", esclareceu a polícia, em nota, sobre a operação, que foi divulgada apenas ontem (13).

Fonte: Uol e R7