Homem é morto durante transmissão ao vivo no Facebook

Por Redação | 20 de Junho de 2016 às 14h57
photo_camera Reuters

Na última semana, Antonio Perkins, de 28 anos, fazia uma transmissão ao vivo no Facebook quando foi morto em uma das ruas de Chicago, nos Estados Unidos. Enquanto estava entretido com a transmissão e uma garrafa de suco de limão, Perkins foi surpreendido por tiros e atingido na cabeça e no pescoço. Em seguida, é possível ouvir os barulhos de sirene e tiroteios enquanto o homem ficou caído no chão.

No vídeo, é possível ver que assim que a vítima é atingida, o celular cai e revela rapidamente a grama ensanguentada. Os amigos de Perkins começam a gritar por socorro pedindo para que chamem urgentemente a polícia. Mesmo sendo socorrido e levado a um hospital da região, o homem não resistiu aos ferimentos e morreu.

De acordo com a polícia de Chicago, Perkins era membro de uma gangue e teria sido morto por traficantes de uma gangue rival. Casos de assassinato por gangues como este são muito comuns em bairros da periferia nos Estados Unidos. Apesar da investigação da polícia apontar para a ligação de Perkins com o crime, a família nega que ele tenha sido criminoso e afirma que o assassino matou a pessoa errada.

O caso aconteceu dias depois de um duplo homicídio na França, onde um assassino e simpatizante do Estado Islâmico incentivava os espectadores a matar funcionários do sistema carcerário, agentes da polícia, jornalistas e políticos em uma transmissão ao vivo no Facebook. O vídeo foi feito pouco depois do homem de 25 anos ter assassinado um comandante da polícia francesa e seu parceiro.

Os casos chamaram a atenção dos diretores do Facebook, YouTube e Twitter, que discutem o impacto e as consequências de vídeos ao vivo como estes e que podem alcançar uma audiência de milhões de pessoas.

Fonte: Chicago Tribune

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.