Facebook vai verificar autenticidade de perfis populares suspeitos nos EUA

Por Rafael Arbulu | 29 de Maio de 2020 às 16h19
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

Nos Estados Unidos, o Facebook vai adicionar mais uma camada de segurança em seu combate a campanhas de desinformação: a rede já vinha fazendo isso para páginas específicas na plataforma, mas agora perfis individuais que apresentem um surto estranho de popularidade ou cujos posts viralizem rapidamente passarão por verificações de autenticidade por parte da empresa, podendo ter seu alcance reduzido e passarem por impedimentos de postarem em páginas que porventura estejam administrando.

A ideia é, como sempre, impedir que campanhas de propaganda irregular, contendo fake news ou ataques de cunho extremista, ganhem projeção alta de audiência dentro da rede do Facebook, que hoje conta com quase 1,7 bilhões de usuários. A isso, o Facebook atribuiu o rótulo de “padrão de comportamento não autêntico”.

Perfis fakes comumente se associam à veiculação de informações falsas pelo Facebook: rede social rodará verificações rotineiras a fim de limitar campanhas de propaganda irregulares na plataforma

Basicamente, a empresa chefiada por Mark Zuckerberg vai reduzir artificialmente a distribuição de posts viralizados cuja publicação original tenha vindo de contas cujo nome de usuário (ID) não esteja em conformidade com o link do perfil. Tais contas também ficarão impedidas de postar em suas páginas até que forneçam comprovação de identidade por meio da ferramenta de autorização de publicadores das páginas. Identidades enviadas serão armazenadas em ambiente seguro e não serão compartilhadas, informa a rede.

A ação não vai, porém, banir usuários identificados como veiculadores de campanhas irregulares — algo que o Facebook já anunciou no passado que não faria (e pelo que a rede vem até hoje enfrentando muitas críticas). De qualquer forma, é um esforço a mais para a rede social, que enfrentou interferência externa em 2016, durante as eleições presidenciais. Neste ano de 2020, novas eleições serão veiculadas e o Facebook já busca se proteger.

As verificações, por ora, serão restritas aos Estados Unidos. Ainda não há informação de eventual disponibilização da ação em outros países.

Fonte: Engadget

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.