Facebook é duramente criticado após censurar foto histórica da Guerra do Vietnã

Por Redação | 09 de Setembro de 2016 às 12h50
photo_camera Nick Ut

Aftenposten, maior periódico do país europeu, usa a primeira página da sua edição desta sexta-feira (9) para acusar Mark Zuckerberg de “abusar de seu poder” e afirmar que a rede social pode abalar “um dos pilares da sociedade democrática”.

Se você já leu alguns livros de história, mesmo que aqueles indicados no colégio, ou então acompanhou algum documentário ou reportagem sobre os principais eventos do século 20, é bem provável que já tenha visto a foto abaixo. Feita durante a Guerra do Vietnã por Nick Ut, ela mostra crianças vietnamitas correndo após um ataque com napalm a uma localidade do país e é, sem dúvida, uma das fotografias mais conhecidas de todos os tempos.

E ela voltou a ser notícia no mundo após o Facebook censurar uma reprodução da foto publicada na rede devido ao fato de que uma das crianças que aparece na imagem, Kim Phuc, então com nove anos de idade, estar nua. Como resposta, o Aftenposten, maior jornal da Noruega, republicou a imagem na capa de sua edição de hoje (9) acompanhada de um texto do editor-chefe e presidente do jornal Espen Egil Hansen.

Na carta aberta, o editor tece duras críticas à conduta do Facebook e informa que recebeu um e-mail na quarta-feira (7) solicitando a remoção da foto. Contudo, menos de 24 horas depois, não somente a postagem, mas também o artigo no qual ela estava haviam sido removidos.

“Para ser honesto, eu não imagino que você vá ler esta carta. A razão pela qual eu ainda vou fazer isso é que eu estou chateado, desapontado — e, bem, de fato até temeroso — com o que você está prestes a fazer com um dos pilares de nossa sociedade democrática”, escreveu Hansen na capa inicial do jornal.

E esta não foi a primeira vez em que a imagem de Nick Ut é removida da rede. Antes de remover o artigo do jornal, o Facebook fez o mesmo com uma postagem do autor norueguês Tom Egeland, responsável pelo artigo sobre as fotos que mudaram a história da guerra. Não somente a foto foi removida, mas também a conta do autor foi suspensa.

Capa do Afetenposten

Espen Egil Hansen, editor-chefe do Aftenposten, ao lado da capa de hoje do jornal. (Foto: Divulgação/Aftenposten)

“Primeiro você cria regras que não distinguem pornografia infantil de famosas fotografias de guerra. Então, você aplica estas regras sem dar espaço para um bom julgamento. Finalmente, você inclusive censura a crítica e a discussão sobre a sua decisão — e você pune a pessoa que ousa dar voz à crítica”, lamenta Hansen.

Abuso de poder

Após destacar alguns dos benefícios do Facebook, Hansen lembra do poder que a ferramenta alcançou no último ano, força consequentemente detida também por seu cofundador, presidente e figura mais conhecida.

“O Facebook se tornou a plataforma líder mundial para divulgação de informações, debates e contato social entre pessoas. Você ganhou esta posição porque mereceu”, escreveu o editor-chefe do Aftenposten. “Contudo, pensando em mim como um editor-chefe do maior jornal da Noruega, eu devo assumir que você está restringindo o espaço para o exercício da minha responsabilidade editorial. É isso que você e os seus subordinados estão fazendo neste caso.”

Hansen prossegue ainda em sua reflexão afirmando que Zuckerberg está “abusando do seu poder” ao realizar este tipo de censura sem sequer abrir um espaço razoável para a defesa de quem é acusado de violar alguma das normas e políticas de uso da rede social mais popular do planeta.

Fonte: Aftenposten

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!