CEO do Twitter pede que haja mais regulação dos governos nas redes sociais

Por Rafael Rodrigues da Silva | 03 de Abril de 2019 às 17h13
Fortune
Tudo sobre

Twitter

Saiba tudo sobre Twitter

Ver mais

Nesta quarta-feira Jack Dorsey, CEO do Twitter, revelou em entrevista para a BNN Bloomberg (canal de notícias do Canadá) que é totalmente a favor de uma maior regulamentação das mídias sociais pelos governos de países, assim como já está começando a ser feito na União Europeia.

De acordo com os executivos, leis como a General Data Protection Regulation (Regulação Geral da Proteção de Dados Virtuais, em tradução livre) são algo positivo não apenas para os usuários, mas para as próprias empresas de mídias sociais, pois tornam muito mais claras as preocupações que se deve ter para com a privacidade dos dados de seus usuários e sobre como esses dados podem ser utilizados.

Dorsey disse ainda que vê sua companhia como uma espécie de “professora” para reguladores e legisladores, ajudando-os a entender quais são os desafios existentes nas atuais tecnologias da área, para que essas pessoas possam executar suas funções de proteger os cidadãos e garantir que todos os que participam dessas redes sociais saibam exatamente a que suas informações estão sujeitas.

O CEO se junta a uma onda recente de bilionários importantes do Vale do Silício que pedem uma maior regulação do governo às empresas de tecnologia. Além do CEO do Twitter, Marc Benioff (Salesforce) e Mark Zuckerberg (Facebook) já deixaram claras suas posições de que é necessário um maior controle do governo sobre o que é feito com a informação dos usuários na internet, para que o sistema não venha a quebrar.

Recentemente, a internet está sendo dominada por uma onda de escândalos, vazamentos de informações privadas e compartilhamento de conteúdos tóxicos, e normalmente toda a culpa desses casos está recaindo inteiramente sobre as próprias empresas que administram essas redes. Assim, esse novo movimento por regulação pode ser visto como uma tentativa dessas empresas de pedir ajuda, já que elas têm percebido que é praticamente impossível regular todo o conteúdo que circula por elas.

Fonte: Telegraph

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.