Após críticas internas, Zuckerberg diz que vai mudar políticas do Facebook

Por Wagner Wakka | 08 de Junho de 2020 às 11h50
Facebook
Tudo sobre

Mark Zuckerberg

Saiba tudo sobre Mark Zuckerberg

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, mudou sua postura em relação a como vai lidar com publicações de discurso de ódio e racismo na plataforma. Em uma publicação na rede social, ele informou que haverá uma revisão de algumas políticas, listando sete grandes modificações para o futuro.

Zuckerberg foi criticado pelos seus próprios funcionários na semana passada, quando afirmou que não tomaria postura contra uma publicação do presidente Donald Trump em relação ao sistema de votação por correspondência. O Twitter chegou a colocar um rótulo de “potencialmente enganoso” sobre o post com o comentário do presidente dos Estados Unidos, o que motivou pessoas a pedirem o mesmo do Facebook. “O Facebook não deveria ser árbitro da verdade”, disse Zuckerberg em 1º de julho à Fox News.

Neste novo pronunciamento, contudo, o CEO mostrou mudança de pensamento. “Estou me comprometendo a garantir que também vamos lutar pelo engajamento nas votações e pela justiça racial”, escreveu. Com isso, ele apontou sete sugestões de mudanças que o Facebook poderia adotar para o futuro. Dentre elas, destacam-se três.

A primeira é que o Facebook deve revistar suas políticas relacionadas a discursos sobre uso de forças pelo Estado, limitando publicações que falem sobre ações consideradas excessivas pela polícia ou quando houver uma discussão em andamento (como é o caso de George Floyd nos Estados Unidos).

A empresa também vai rever a forma como lida com discursos que desestimulem as pessoas ao voto, como foi o caso de Trump. “Há uma boa chance de que haja medo e confusão sem precedentes em relação à votação de novembro [presidenciais nos Estados Unidos], e algumas pessoas provavelmente vão querer capitalizar em cima dessa confusão”, disse Zuckerberg.

Por fim, o Facebook também vai repensar a forma que lida com posts com discursos violentos ou parcialmente violentos. A proposta é não se ter apenas duas posturas, de apagar ou deixar a publicação na plataforma, porém chegar a outras medidas intermediárias. “Eu sei que muita gente pensa que deveríamos ter rotulado os posts do presidente de alguma forma na semana passada. Nossa política atual é de que, se um conteúdo incita violência, então a postura correta é de derrubá-la, não deixar que as pessoas continuem vendo sob um alerta”, comentou.

De acordo com o CEO, essa regra deve ser modificada, mas ainda não há consenso sobre as medidas que serão tomadas em relação a isso.

Zuckerberg também disse que o Facebook deve contar com novos produtos para colaborar com a luta por justiça racial. Em nota, ele afirmou que o time de desenvolvimento de produtos terá “algo novo para mostrar em breve”.

Fonte: Facebook

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.