Analistas esperam crescimento de 37% para o Facebook

Por Redação | 29 de Julho de 2015 às 14h28

Estamos em mais uma daquelas épocas em que analistas de todo o mundo se reúnem para avaliar os números de empresas e seus destinos daqui em diante. Mas se tem uma que não deixa dúvida alguma é o Facebook. Os resultados financeiros da rede social devem ser revelados ainda nesta quarta-feira (28) e a expectativa é de mais um crescimento explosivo para a empresa, como já vem acontecendo nos últimos períodos.

De acordo com os analistas de Wall Street, a previsão para o relatório é de ganhos de 37% no faturamento total da rede social e um incremento de US$ 0,47 por ação. E tudo isso graças ao crescimento explosivo das receitas de publicidade mobile da plataforma, que cada vez mais caminham para compor a maioria do lucro do Facebook e devem ter sido responsáveis por valores 75% maiores que no mesmo período do ano passado.

Esse segmento, inclusive, deve ser o grande foco da apresentação financeira marcada para esta quarta. Como em praticamente todas as redes sociais em atividade, o mundo mobile é um dos principais pontos de expansão e, claro, também de monetização. Cada vez mais acessos são oriundos de dispositivos como tablets ou celulares, e tais empresas cada vez mais se adaptam para atender a esse público, além de tirar sua boa parcela de dinheiro desse bolo todo.

Por outro lado, analistas esperam apenas poucas palavras sobre outros segmentos que estão se tornando cada vez mais importantes, como os vídeos, por exemplo. Há três meses, o Facebook atualizou seu total de visualizações diárias para quatro bilhões, mas falou pouco sobre os esforços para se tornar um player de destaque nesse cenário, fazendo frente ao YouTube e, acima de tudo, roubando parte das receitas de publicidade do Google. A empresa também não revelou muitos números relacionados a isso.

O mesmo também vale para outros negócios como o Instagram, que apenas recentemente começou a ter anúncios exibidos na linha do tempo dos usuários, ou o botão “comprar” que já está sendo exibido e permite que o usuário adquira produtos diretamente pelo Facebook. A empresa, normalmente, espera que tais negócios estejam devidamente consolidados antes de falar deles, e normalmente faz isso apenas em relatórios anuais de faturamento.

Outro ponto de atenção que não deve ser tocado nesta quarta são os anúncios de resposta direta, uma nova categoria que permite aos anunciantes escolherem exatamente o tipo de interação que desejam que os usuários tenham. É possível, por exemplo, fazer com que os cliques gerem apenas visitas a um site ou instalações de aplicativos, ignorando outras métricas como curtidas ou comentários, que possam não ser o foco.

A expectativa é que tal novidade também gere bons frutos nos números da rede social, mas ao mesmo tempo, a iniciativa só foi aplicada no final do segundo trimestre de 2015, o que não deve constituir tempo suficiente para que resultados significativos fossem obtidos.

Fonte: Recode

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.