Será que você não está compartilhando informações demais nas redes sociais?

Por Vander de Castro
photo_camera UOL

O Facebook parece ter um efeito hipnótico sobre os usuários, causa uma espécie de vício. Quanto mais se utiliza a rede, mais se tem vontade de curtir mais, comentar mais, compartilhar mais. É claro que existem os usuários mais contidos, mas esses são minoria. A grande parte gosta mesmo é de compartilhar fotos de tudo que está fazendo, comprando, comendo. Sempre mostra onde está e com quem. E, para não ir longe, tem aqueles que fazem check-in em sua própria residência, divulgando o endereço no mapa para todo mundo que está (ou, às vezes, não) em sua lista de amigos. É aí que mora o perigo.

Você pode até estar cansado de ouvir falar dos riscos que envolvem certas atitudes no Facebook – e, inclusive, pode até ser precavido o suficiente para ignorar muitos conselhos. Mas se você gosta mesmo é de compartilhar, mostrar o que você faz, com quem você sai e onde você frequenta, está é dando sorte para o azar. Fica a dica

Tirar proveito do Facebook é possível, e muita gente ganha fama, reputação e até dinheiro com isso. Difícil é saber usar a rede. Então, se você se interessa por sua segurança e privacidade, tente fazer uma importante decisão: seu perfil no Facebook é pessoal ou profissional? Você usa a rede só para manter contato com seus amigos mais próximos e parentes mais queridos ou tem contato com ex-colegas de trabalho, pessoas que atuam na mesma área, seu chefe, o superintendente da empresa, seu coordenador ou gerente de projeto? É muito provável que você tenha contatos de sua área profissional, bem como familiares em seu Facebook. Então cuidado com o que posta e compartilha.

Separando o joio do trigo

Já que o Facebook é um local descontraído da web, a melhor coisa a se fazer é saber separar as coisas e deixar aquele conteúdo íntimo e pessoal bem longe de quem não precisa ficar sabendo. Mas se para você o Facebook abre portas para novos projetos, clientes e empregos, saiba filtrá-lo bem para que você cause, no mínimo, uma boa impressão.

A lista de tudo que não se deve fazer no Facebook é grande, mas basta um pouco de bom senso e cautela para usar a rede sem manchar sua reputação, seja perante a família ou ao futuro patrão. Não use o Facebook para reclamar do trabalho, falar mal de pessoas, dizer que está cansado ou que preferia ter dormido até o meio-dia. E se você realmente quer mostrar que trabalha, nada de ficar postando informações demais em horário comercial. Além de evitar constrangimentos, ter cautela com o que posta na rede é essencial para a sua segurança e privacidade.

O conteúdo que você posta e compartilha no Facebook pode até estar oculto para o público em geral e algumas pessoas de sua lista de amigos. Mas isso não significa que suas informações estão seguras e não irão vazar. Basta uma pessoa clicar em 'Compartilhar' em uma atualização de status ou foto sua para torná-la visível para mais uma série de usuários da rede. Portanto, nunca compartilhe informações que possam colocar sua segurança em risco.

Existem pessoas que colocam o endereço e o número de telefone no Facebook, o que automaticamente faz com que todos os seus contatos saibam onde elas moram. E é bom tomar cuidado com check-ins, que podem ser muito traiçoeiros. Saiu de férias e vai passar uma semana no exterior? Todos saberão que sua casa estará vazia. Isso sem contar novamente a história de fazer check-in na sua própria casa.

De más intenções o mundo está cheio

Jamais subestime a capacidade das pessoas de ligar os pontos. Colocar informações demais, como nome da mãe, dos filhos e até do cachorro pode facilitar a vida dos mal intencionados, se você utiliza alguns destes nomes como senha de sua(s) conta(s). Outra informação é a data de nascimento completa. Você não precisa informar tanto sobre você em um ambiente que leva informação de maneira fácil e gratuita a tanta gente. Portanto, se alguém conseguir unir os pontos e descobrir que sua senha é sua data de nascimento seguida do nome de seu animal de estimação, não se assuste. É melhor evitar problemas e filtrar o máximo possível de informações. Dados pessoais não existem para ser públicos

Depois que o Facebook lançou sua ferramenta de busca gráfica, o Graph Search, encontrar dados e informações a seu respeito fica ainda mais fácil. Mas lembre-se: o Graph Search não encontra nada que você mesmo não tenha colocado na rede. Portanto, não adicione dados aleatórios para fazer piadinha (ex.: VASP - Vagabundos Anônimos Sustentados pelos Pais ou profissões esdrúxulas, como "aspone"). Não clique em 'curtir' em páginas que você não curte, só para fazer média. Não adicione eventos que nunca aconteceram. E também, seja astuto: não curta ou adicione dados que possam causar constrangimento no futuro (ex.: violência, uso de substâncias ilícitas, etc.).

Por fim, para não se comprometer (ou pelo menos evitar situações constrangedoras) no Facebook, basta ter uma ideia em mente: não poste aquilo que você não deseja mostrar para o mundo. Não é exagero, nem paranóia: pode ter gente que você nem imagina acessando suas informações, fotos, atualizações de status, compartilhamentos e check-ins.

Leia também:

Dicas de segurança no Facebook: navegue com privacidade e tranquilidade na rede

* Vander de Castro é colunista do Canaltech e country manager da Avast no Brasil.