Facebook está testando sistema de publicidade baseado em chamadas perdidas

Por Redação | 02 de Julho de 2014 às 16h00
photo_camera Divulgação

O Facebook parece estar cada vez mais ciente sobre os desafios que os mercados emergentes lhe reserva. Há algum tempo, a empresa da rede social já havia comentado que é este o mercado cujos esforços devem ser concentrados para que a companhia possa continuar crescendo e faturando cada vez mais com anúncios publicitários.

A coisa, no entanto, não é tão trivial quanto parece, já que a rede social mais popular do mundo encontra limitações de infraestrutura e culturais em vários desses mercados. Um dos maiores problemas é a baixa popularidade dos smartphones, cujos preços ainda são infinitamente superiores aos mais populares feature phones – aqueles que só fazem e recebem ligações e mensagens. Como se não fosse suficiente, os poucos que possuem os dispositivos inteligentes relutam em adotar planos de telefonia que oferecem conectividade 3G ou 4G, haja vista seu alto valor.

Diante deste cenário, o Facebook anunciou nesta quarta-feira (02) que está testando um novo sistema de anúncios publicitários inicialmente na Índia. Assim como no Brasil, a grande maioria da população possui aparelhos com planos pré-pagos e os famigerados "toquinhos" para chamar a atenção de outra pessoa também são populares por lá. E é justamente sobre este aspecto que a companhia de Mark Zuckerberg construiu seu novo sistema de publicidade.

A partir de agora, quando os usuários virem um anúncio no app móvel do Facebook, poderão clicar sobre eles e "dar um toque" para o anunciante, que retornará a ligação (sem nenhum custo) e informará tudo sobre o produto ou serviço anunciado na rede social.

Com o novo sistema o usuário poderá dar um

Com o novo sistema o usuário poderá dar um "toque" para o anunciante, que retornará a ligação para informar todos os detalhes sobre o produto ou serviço anunciado na rede social (Imagem: Reprodução/Facebook)

Muito embora o plano ainda esteja restrito ao país, o Facebook diz que pretende expandi-lo para alcançar uma variedade de público ainda maior. Já que o alvo são os países emergentes, é possível que em breve o recurso esteja disponível na Indonésia, Turquia, África do Sul e, claro, no Brasil.

Para nós, usuários, só resta esperar para ver se os anunciantes receberão bem a novidade e se ela realmente pegará.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.