Facebook divulga novas políticas para combater discursos de ódio na rede

Por Redação | 29.05.2013 às 13:13

O Facebook admitiu recentemente que pode empregar novas técnicas e práticas para remover conteúdos que proliferem os discursos de ódio na rede social e divulgou novas políticas para melhorar seu sistema de análise de postagens e identificação de conteúdos difamatórios. Na nova Declaração de Direitos e Responsabilidades, a empresa afirma que está proibido o uso da rede social para a disseminação de discursos de ódio. As informações são do IT World.

As mudanças empregadas na declaração do Facebook se devem, principalmente, a relatos de grupos de defesa dos direitos humanos e de mulheres, que afirmaram que inúmeros conteúdos violentos e de ódio são publicados todos os dias na rede social e que sua remoção nem sempre é imediata após uma denúncia. Marne Levine, vice-presidente de políticas públicas globais do Facebook, afirma que a companhia ainda precisa melhorar muito seu sistema de identificação, avaliação e remoção de conteúdo que viole suas normas.

Como parte das mudanças, o Facebook irá solicitar feedback regular de juristas e representantes de grupos civis para atualizar as diretrizes do site para a identificação de discursos de ódio, e estas atualizações também serão repassadas em treinamentos das equipes que trabalham com a avaliação e exclusão de postagens difamatórias ou prejudiciais. Outra novidade empregada pela empresa é a responsabilização de usuários por publicarem conteúdos que, muitas vezes, não são considerados de ódio, mas que continuam a ser cruéis e insensíveis.

A empresa, que possui como um de seus principais lemas manter "o mundo aberto e conectado', entende que suas páginas também podem ser usadas para proliferar discursos ofensivos e que caminha em uma linha estreita entre incentivar a liberdade de expressão e criar uma rede segura e respeitosa para todos. Além disso, o Facebook está trabalhando para distinguir com precisão o que é um discurso de ódio de conteúdos menos ofensivos que apresentam um humor de mau gosto e aplicar as políticas corretas e justas.

Leia também: Promotor italiano pode colocar Facebook sob investigação depois de suicídio