Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Flash revela forma chocante após inúmeras várias viagens temporais

Por| 15 de Agosto de 2023 às 20h20

Link copiado!

Marvel Comics
Marvel Comics

Embora as viagens temporais tenham proporcionado divertidas produções nas mais diferentes mídias, como o clássico De Volta Para o Futuro, esse tipo de intervenção no curso natural da história da humanidade traz consequências catastróficas na DC Comics. E as HQs do Flash provam cada vez mais que é o tipo de recurso que o Homem Mais Rápido Vivo deveria evitar, de acordo com a mais nova edição de Knight Terrors: The Flash.

Atenção para spoilers de Knight Terrors: The Flash #2!

A “saga de terror de verão” da DC, Knight Terrors, continua explorando os mais sombrios pesadelos dos heróis e vilões da empresa, a partir da investida do vilão Insônia. Enquanto a série principal mostra os esforços de vários personagens tentando resolver a parada, os títulos conectados mostram como isso vem afetando individualmente cada um.

Continua após a publicidade

Em Knight Terrors: The Flash #2, lançado recentemente, vemos Barry Allen preso em uma série de falhas, enquanto ele tenta salvar Wally West de uma lesão horrível, apenas para ter sua velocidade misteriosamente diminuída durante a cada vez. Eventualmente, ele é confrontado por uma criatura grotesca, que assume a responsabilidade por isso: um monstro que é uma espécie de inúmeros Flash compilados a partir de suas incontáveis viagens temporais.

O design do monstro encontrado dentro da Força de Aceleração reúne uma horrível amálgama de "Barrys" deixados para trás em inúmeras tentativas de salvar Wally. A cada falha, um novo Barry era adicionado à “colagem”, formando uma bolha aterrorizante com rostos gritando. E o pior: os "Barrys" do passado continuam motivados para salvar Wally, sempre atravessando a Força de Aceleração, como um círculo vicioso — com direito ao clássico "podemos parar de correr quando quisermos".

Não precisa ir longe para lembrar que Ponto de Ignição (ou Flashpoint) é a saga que mais enfatiza as consequências terríveis que podem resultar das viagens temporais de Flash. Barry Allen costuma fazer isso em prol de motivações mais nobres, que não o ganho pessoal; mas a cada ano que passa, a DC deixa mais claro que isso só deve ser utilizado mesmo em último recurso.

Afinal, a forma final monstruosa do Barry viajante temporal é algo que nada tem a ver com o heroísmo ensolarado que os Flash costumam buscar.