Review Logitech MX Vertical | Mouse ergonômico cheio de extras

Review Logitech MX Vertical | Mouse ergonômico cheio de extras

Por Felipe Junqueira | Editado por Léo Müller | 14 de Agosto de 2021 às 12h30
Ivo/Canaltech

Usar um mouse o dia inteiro pode causar fadiga e lesões aos músculos da mão e do braço, o que leva a problemas crônicos como tendinite e lesão por esforço repetitivo (LER). Pensando nisso, as empresas começaram a desenvolver periféricos especiais com design ergonômico, como é o caso do Logitech MX Vertical.

Além de ter um formato com 57° de angulação para os botões, o mouse tem várias funções interessantes e funciona com bateria, sem necessidade de cabo. São três opções de conectividade, além da possibilidade de pareá-lo simultaneamente a até três dispositivos, com troca pelo toque de um botão ou até mesmo pelas bordas da tela.

Eu testei o mouse ergonômico MX Vertical, da Logitech, e conto abaixo minha experiência e se o periférico realmente é uma boa alternativa aos modelos tradicionais. Veja a minha análise a seguir e descubra se vale a pena investir neste produto.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Prós

  • Opções de conectividade;
  • Até 3 dispositivos simultâneos;
  • Bateria recarregável;

Contras

  • Uso apenas com a mão direita.

Confira o preço atual do Logitech MX Vertical

Design, Construção e Conectividade

MX Vertical tem angulação de 57° (Imagem: Ivo/Canaltech)

O mouse MX Vertical foi desenhado para oferecer o melhor encaixe para praticamente qualquer tamanho de mão. Os botões ficam na vertical, em um ângulo de 57°, o que permite ao pulso permanecer em uma posição mais natural durante o uso. A superfície do periférico é de borracha texturizada, garantindo uma ótima pegada e evitando escorregões.

Em meio aos botões, você tem uma roda clicável, enquanto do lado oposto há mais dois botões personalizáveis, com função padrão de avançar e voltar. No topo, temos a logomarca da Logitech e um botão que permite ajustar a velocidade do cursor de maneira rápida, sem precisar entrar no menu de configurações.

Na parte de baixo, o MX Vertical conta com rastreador óptico avançado, que consegue reconhecer o movimento do dispositivo mesmo em superfícies muito lisas. Há ainda um interruptor para ligar e desligar o mouse e um botão para mudar o pareamento rapidamente entre até três dispositivos, que podem ser computadores Windows, Mac, Linux, Chrome OS ou tablets iPadOS.

Um conector USB-C se encontra na parte da frente do periférico, escondido abaixo dos botões. Ele serve tanto para carregar a bateria, quando necessário, como para fazer o uso com cabo — ou seja, o mouse não fica sem utilidade enquanto recupera a carga. Aliás, são 240 mAh de capacidade, suficiente para oferecer ótima duração. Eu usei o produto por cerca de duas semanas, e só nos últimos dias vi uma mensagem de carga baixa. Ainda consegui usar por mais de um dia sem nenhum problema.

Falando em conectividade, você tem três opções de pareamento com PCs e tablets: Bluetooth, receptor USB sem fio e o cabo USB-C (que vem na caixa). Para controlar mais de um computador ou tablet ao mesmo tempo, é necessário o uso do app Logitech Options em todos os dispositivos. E esse é um dos pontos baixos da experiência.

Botão no topo facilita o controle da velocidade do cursor (Imagem: Ivo/Canaltech)

Eu mantive o mouse conectado a um notebook Windows e a um Macbook Air simultaneamente e, na maior parte das vezes, consegui fazer a troca de dispositivo simplesmente levando o cursor para a borda da tela sem dificuldade. Mas precisei resetar o app duas vezes porque ele simplesmente perdeu conexão com o Mac, e só voltou a funcionar depois de reiniciar ambos os computadores e remover as conexões no aplicativo.

Mas o grande problema do mouse é também uma de suas principais características: o design. Geralmente, esse periférico possui formato que pode ser aproveitado igualmente tanto por uma pessoa destra quanto por um canhoto. O MX Vertical não tem essa possibilidade: só dá para usar com a mão direita, sem chance de adaptar para a esquerda. Claro que, se você for um dos vários canhotos que se acostumou a usar o mouse como destro, não será problema algum.

Ergonomia

A ideia do mouse MX Vertical da Logitech é oferecer uma opção mais confortável. O mouse faz parte da linha Ergo da empresa, e como já descrevi, possui angulação de 57° para os botões e formato para o melhor encaixe da mão.

Realmente é um produto ótimo nesse sentido. Eu tenho uma tendinite leve —não diagnosticada porque não realizei os exames, mas tenho as dores características que afetam ambos os braços, principalmente no frio. E foi nos dias de temperatura mais baixa do ano em São Paulo que eu testei o mouse, sem dores no final do dia ou mesmo da semana.

Ou seja, dá para confiar que o design realmente ajuda a evitar fadiga excessiva dos músculos da mão, conforme descrito pela Logitech.

“Um dia, depois de mais de uma semana usando unicamente o MX Vertical, eu peguei um mouse tradicional porque não conseguia fazer a transição entre computadores e precisei trabalhar em dois notebooks ao mesmo tempo. Foi bem esquisito voltar ao periférico horizontal, talvez mais do que a estranheza inicial ao começar a usar o vertical”.

Logitech MX Vertical: ficha técnica

  • Sensor: 1.000 e 1.600 dpi;
  • DPI: de 40 até 4.000;
  • Conectividade: Bluetooth LE, receptor Unifying ou cabo USB-C;
  • Distância de funcionamento: até 10 m (sem fio)
  • Bateria: 240 mAh recarregável;
  • Dimensões: 78,5 mm x 79 mm x 120 mm (AxLxP);
  • Peso: 135 gramas;
  • Compatibilidade: Windows, macOS, iPadOS, Chrome OS, Linux.

Concorrentes Diretos

Existem vários mouses ergonômicos disponíveis por aí, incluindo outros da própria Logitech. Posso citar aqui o Ergo M575, o MX Master 3 e o MX Ergo, com funções semelhantes, mas nenhum vertical em ângulo de quase 60° como este aqui.

Há opções mais baratas, mas com menos recursos, também. O MO284, da Multilaser, que só tem conexão por receptor USB e funciona com pilha, por exemplo. Uma alternativa com bateria recarregável seria o DW882, da Durawell, mas esse não tem a opção de conexão Bluetooth.

Conclusão

O Logitech MX Vertical é um dos mouses mais interessantes que eu já usei até hoje. E olha que eu não sou um entusiasta de periféricos diferentões. Sempre usei os tradicionais sem nenhum problema. Agora, depois de mais de uma semana usando um ergonômico (e tem mais por vir), não sei se volto a me adaptar aos modelos comuns.

Os diferenciais, como os botões de retornar e avançar e a mudança rápida na velocidade do ponteiro, só tornam este mouse ainda mais interessante. A transição entre dispositivos conectados simultaneamente também é um ponto positivo a se levar em consideração.

O problema é o preço: R$ 599,90 é o valor oficial na loja da Logitech. É bastante dinheiro para pagar por mais ergonomia e facilidades. Mas, dependendo da sua rotina, pode ser um investimento que valha a pena. A qualidade do mouse ao menos está em sintonia com a soma a ser gasta. E dá para encontrar o produto por menos de R$ 500 no varejo online.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.