iPad Pro é sinal de que Apple está seguindo passos da Microsoft, diz executivo

Por Redação | 19.06.2017 às 13:26

Caminhar a ponte entre tablets e notebooks é um dos objetivos tanto da Apple quanto da Microsoft com as linhas iPad Pro e Surface, respectivamente. E para Ryan Gavin, diretor geral da plataforma na casa do Windows, os mais recentes lançamentos da Maçã são um sinal claro de que ela está seguindo os passos da empresa de Redmond quando o assunto são os aparelhos 2-em-1.

O executivo traçou um paralelo entre todos os lançamentos, afirmando que, por exemplo, a Microsoft jamais teria lançado dispositivos como o Surface Pro ou Book não fossem os trabalhos da Apple com o iPad. Por outro lado, a Maçã também não teria entrado nesse segmento não fosse o lançamento da linha Surface em si.

Para Gavin, o ceticismo inicial que circundou o lançamento da série foi rapidamente deixado de lado quando os usuários enxergaram as vantagens de um tablet com Windows 10. O mesmo vale para toda a categoria de computadores com tela sensível ao toque e display reversível, algo que motivou todo um foco renovado em dispositivos 2-em-1, que unam a mobilidade e leveza de um tablet com a robustez e produtividade de um PC. Foi dessa aposta e da tentativa de atingir tal público que surgiu o iPad Pro, na visão do executivo.

Entretanto, quando se fala do hardware da linha Surface, a Microsoft não costuma olhar para a Apple tanto assim. A companhia posiciona suas máquinas como um computador completo do tamanho de um tablet, enquanto vê os produtos da rival como o inverso, tablets de tela maior e capazes de fazer as vezes de um PC.

São dispositivos voltados para públicos bem diferentes, e que para a Microsoft, nasceram de uma necessidade dos usuários pela portabilidade. Para a companhia, entretanto, sempre foi primordial manter o completo escopo das funcionalidades do Windows 10 e também o poder de processamento, mesmo que isso significasse um valor maior que o da concorrência.

Para Gavin, a oferta atual de dispositivos atende a todos os tipos possíveis de consumidores. Quem deseja portabilidade pode optar pelo Surface Pro, enquanto aqueles que buscam mais poder acabam atraídos pelo Surface Book. Caso o usuário não se encaixe em nenhum dos dois casos, também pode optar pelos notebooks convencionais com Windows 10.

Fonte: Business Insider