Dia Internacional do Gato | Os bichanos também podem ser tech

Por Patrícia Gnipper | 08 de Agosto de 2019 às 13h58

Com licença para quem prefere os cachorros, porque o dia hoje é dos "cat lovers"! Mas nada de "ou um ou outro" aqui; afinal, cães e gatos são nossos melhores companheiros independente da espécie. É que, hoje, 8 de agosto, é o Dia Internacional do Gato, então os caninos que nos perdoem, mas este dia é dos bichanos!

"Mas Canaltech, já teve um 'dia do gato' em fevereiro, tá certo isso aí?". Tá certo sim: no dia 17 de fevereiro, celebra-se o Dia Mundial do Gato por conta duma organização italiana de defesa animal, que escolheu a data para ajudar a promover campanhas contra maus tratos. Só que o Dia Internacional do Gato, em agosto, foi criado em 2002 pela IFAW (sigla para Fundo Internacional para o Bem-Estar Animal), com o objetivo de levantar debates e conscientizar tutores sobre como cuidar corretamente dos felinos domésticos.

Os gatos são os verdadeiros reis da internet, e isso faz com que um número muito maior de pessoas, hoje, escolha criar gatinhos dentro de casa, em comparação com décadas passadas. Porém, o lado negativo dessa popularidade virtual é que muita gente encara os gatos com olhos errados: ou os tratam como cachorros, ignorando totalmente que bicho não é tudo igual, ou os tratam como objetos de interesse para atrair mais likes, comentários e seguidores nas redes sociais. Não é raro vermos pessoas com gatinhos mil no feed do Instagram, mas se conhecer um pouco mais a fundo, ver que a pessoa mal dá atenção e não faz a menor ideia de como cuidar de um gato.

Justamente tentando reduzir a quantidade de gente postando no Facebook coisas como "meu gato está vomitando sangue, o que eu faço?", em vez de levá-lo duma vez ao veterinário, é que instituições como as citadas acima criaram os "dias dos gatos" para promover o que chamamos de "adoção responsável": ter a consciência de que se trata de uma vida, e não de um bibelô peludinho, que vai exigir cuidados diários específicos e viver em média uns 15 anos.

E parte desse conceito de tutela responsável envolve, claro, a tecnologia. Afinal, o ano é 2019 e os bichanos também podem ter seu bem-estar e sua vida em geral melhorada graças a novidades tech que já existem aos montes por aí. Conheça alguns produtos legais voltados ao bem-estar dos pequenos felinos e que usam a tecnologia para isso:

Monitor de bebês, mas para gatos

Se você passa a maior parte de seu dia fora de casa, que tal acompanhar o dia do gato à distância, e até mesmo brincar com ele ou conversar com seu gatinho pra dizer que está com saudades? Existem alguns monitores de gatos disponíveis no mercado, e um bem legal é o Petcube Play 2, que reúne diversas funções em um só produto e custa US$ 199 na gringa.

A caixinha tem uma câmera Full HD com um ângulo de 180º para você ver o que o bichano está aprontando, e também é equipada com um alto-falante e um laser. Então, além de criar um Big Brother felino, você conversa com ele à distância, pelo celular, e ainda pode ativar o laser para brincar com o gato mesmo sem estar fisicamente presente no momento. O produto tem um app para smartphones, por onde você acompanha tudo e dá os comandos, e pode configurar o recebimento de alertas no celular sempre que o sistema identificar que alguma coisa estranha pode estar acontecendo com seu filho de quatro patas — como uma crise de tosse, por exemplo. Ainda, o monitor tem embutida a assistente Alexa, da Amazon, para receber comandos de voz.

Exercitando gatos obesos

Apesar de os conceitos da tutela responsável serem bem claros sobre os perigos de deixar seu gato "dar uma voltinha" na rua, sendo sempre mais indicado telar janelas e impedir a escapadinha diária, uma consequência da criação indoor é a obesidade: gatos em espaços restritos podem ficar entediados, e tendo uma alimentação industrializada em seu dia a dia, é comum ficarem obesos. Comida calórica + sedentarismo = sobrepeso (e eventuais problemas de saúde como consequência disso).

Mas o The Little Cat existe para exercitar seu bichano com ares futuristas, por um preço salgado, é verdade — o produto custa US$ 1.800. Ele é um gadget rotativo inspirado naquelas rodas de hamsters, só que adaptado para gatos. O aparelho possui um laser integrado para atrair o bichano logo de cara, aí o gato entra na estrutura, que começa a se movimentar e força o bicho a se exercitar. Você controla tudo por um app instalado no celular, que traz um programa de emagrecimento se você quiser seguir as dicas de especialistas.

Caixa de areia inteligente

O LavvieBot S é uma liteira inteligente que custa US$ 379. Ninguém gosta de limpar a caixa de areia né, ainda que isso faça parte da rotina de se ter gatinhos em casa. Mas a tecnologia existe para facilitar a nossa vida, e esta liteira o faz com maestria.

A liteira não somente faz a limpeza automática, como também filtra o odor do ar, reduzindo bastante aquele "cheiro de gato" em casa. O produto é ativado via Wi-Fi, e toda a sujeira produzida pelo gato é deslocada para uma gaveta que facilita o descarte posterior. Ele automaticamente faz a coleta da sujeira de tempo em tempo, que pode ser configurado como de 10 em 10 minutos, ou até de hora em hora. E o app móvel informa, no seu smartphone, sempre que a reserva de areia está acabando, para você fazer um refil.

Caminha aquecida

O item menos tecnológico desta lista, mas o mais barato (custa US$ 69,90), e muito útil, é esta caminha aquecida chamada Mod Dream Pod. É que, além do óbvio (que é aquecer os gatinhos nos dias mais frios do inverno), este produto pode ser o sonho para gatos que sofrem com problemas como artrite, displasia da anca, lesões em articulações e dores na coluna.

É que o calor é amigo da circulação sanguínea, o que ajuda na produção de fluido articular, promovendo mais reparo das articulações internas. O aumento da circulação ajuda a minimizar a inflamação e o ácido láctico e, ao fazer isso, o gato sentirá menos dor e desconforto no dia a dia. Ainda, o aumento da circulação traz outros benefícios, como mais oxigenação celular, mantendo o gatinho mais saudável em geral. Ah, a almofada interna do produto é removível e lavável, o que é incrível para gatos com alergias respiratórias.

Alto-falante Bluetooth "acalma gato"

O Pet Tunes é uma caixinha de som Bluetooth especialmente desenvolvida para os gatos. Não, ela não vai tocar Stray Cat Strut do Stray Cats, ou Love Cats do The Cure: o produto foi desenvolvido com base em estudos científicos, e tem em sua memória músicas originalmente criadas pela compositora e pesquisadora Janet Marlow. A ideia é deixar o sonzinho ambiente para acalmar os gatinhos mais agitados, ou ainda levar a caixa de som em viagens, mudanças de casa, chegada de outros animais, enfim, em qualquer situação que seja estressante ao pequeno felino, e também é útil em dias de tempestades barulhentas para gatos traumatizados.

Você carrega o alto-falante via USB, garantindo de 5 a 10 horas de reprodução, e você pode configurar a caixa de som para começar a tocar as músicas felinas em horários determinados. Ah, o produto custa US$ 70.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.