Tecnologia transforma lixo em material para impressão 3D

Por Redação | 25 de Julho de 2014 às 12h20

A impressão 3D vem mudando conceitos e quebrando tabus. Agora, uma invenção de um estudante do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) chamado Sidhant Pai é capaz de reciclar lixo e transformar plástico em material sustentável para impressoras 3D. Saiu na Exame.

Enquanto o jovem procurava por soluções e alternativas de reciclagem de sucata de baixo custo, seu pai começava a se interessar pela recente tecnologia de impressão 3D. Ao perceber que a matéria-prima usada neste tipo de impressão era formada por filamentos de plástico, Pai decidiu unir o útil ao agradável e criou um novo modelo de reciclagem de sucata. Assim surgiu a Protoprint, projeto especializado em criar materiais sustentáveis para impressão 3D.

A ideia foi tomando forma e chegou inclusive a ajudar os catadores de lixo a ganharem mais dinheiro. Sidhant fez uma parceria com a cooperativa SWaCH, que emprega estes catadores, a fim de coletar mais garrafas de plástico de vários produtos (como shampoos, detergentes e medicamentos) depositadas nos aterros norte-americanos para serem usadas como matéria-prima na fabricação de novos objetos 3D.

O processo todo ocorre no laboratório da Protoprint, que está situado próximo ao lixão. Os catadores coletam as garrafas, que são lavadas e fragmentadas em uma máquina especializada. Depois disso, o plástico é todo derretido e enrolado em bobinas de filamento específicas para a produção de objetos em uma impressora 3D.

O protótipo já está em fase final e próximo do lançamento oficial. O grupo de Sidhant deve começar a produção ainda este ano, vendendo o quilo do filamento reciclado por 13,50 dólares (o filamento vendido normalmente custa 30 dólares).

De maneira indireta, o grupo auxilia também a dura vida dos catadores de lixo e os incentiva a ganhar mais dinheiro fazendo menos esforço. A iniciativa da Protoprint pretende pagar até 20 vezes mais pela mesma quantidade de plástico que um catador recolhe de maneira convencional em um lixão.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.