Review Samsung Odyssey CRG50 | Monitor gamer básico até demais

Por Diego Sousa | Editado por Léo Müller | 31 de Janeiro de 2022 às 17h11
Ivo Meneghel Jr/ Canaltech

A linha de monitores Samsung Odyssey só cresce no Brasil, e um dos membros mais antigos da família é o Samsung Odyssey CRG50. O Canaltech recebeu este monitor gamer para testes e eu conto a minha experiência de uso neste review!

O monitor da série Odyssey CRG50 pode ser encontrado em duas opções de tamanhos: 24” e 27 polegadas, ambos com tela curva. Nossa unidade é a menor, de 24” — modelo LC24RG50FQLXZD —, que traz 144 Hz de atualização, FreeSync e modo jogo.

Antes de partirmos para a análise, lembro sempre que, caso você se interesse pelo monitor Samsung Odyssey CRG50, deixarei links de compra para você aproveitar. Vamos nessa?

Prós

  • Qualidade de imagem
  • 144 Hz de frequência

Contras

  • Construção básica
  • Bordas espessas
  • Não oferece possibilidade de ajuste de altura e rotação
  • Preço alto

Construção e design

Diferentemente dos novos integrantes da família Odyssey, que trazem um visual mais chamativo e voltado para jogadores, o CRG50 parece mais um monitor comum, sem nenhum detalhe que remeta à linha gamer da Samsung.

Ele é todo construído em plástico, com uma tampa traseira lisa na cor preta e um círculo no centro para acomodar suas conexões. Sua aparência me lembrou bastante os monitores mais básicos da LG — o que considero um ponto negativo devido à diferença na proposta.

Visualmente, o Odyssey CRG50 não parece um monitor gamer (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

A base e o suporte do Odyssey CRG50 também não passam uma impressão muito boa. As peças são muito simples, não permitindo o ajuste da altura e da rotação da tela, por exemplo, apenas sua inclinação.

Essa falta de ajuste faz muita falta principalmente se você for alto, pois a tela acaba ficando desalinhada com seus olhos. Nos meus testes, precisei colocar um livro embaixo da base para alinhar o monitor.

Base e suporte do Odyssey CRG50 são muito básicos (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

O único aspecto do CRG50 que dá uma sensação de atualidade é sua tela curva. Entretanto, esse é o único ponto positivo do produto, já que as bordas ao redor do display são espessas, semelhantes às presentes em monitores de cinco anos atrás.

"O monitor gamer Odyssey CRG50 tem um visual bastante simples, destoando dos outros integrantes da família. A base e o suporte também não se destacam, não possibilitando o ajuste de inclinação e altura da tela."

— Diego Sousa

Portas e conexões

Com relação à conectividade, o monitor gamer da Samsung oferece o suficiente para jogar em 144 Hz: uma entrada DisplayPort (DP) 1.2 e duas HDMI 1.4. A sul-coreana envia apenas um cabo HDMI na caixa, mas bem que seria bom se também houvesse um cabo DisplayPort por aqui.

Como já era de se esperar de um monitor mais básico, o Odyssey CRG50 não possui alto-falantes embutidos. Pelo menos, ele tem uma entrada para fones de ouvido padrão caso você não tenha mais espaço no gabinete ou notebook.

Qualidade de imagem

A tela do CRG50 tem 23,5 polegadas e curvatura de 1800R. Isso significa que ela tem uma angulação muito menos acentuada que outros modelos da linha com 1000R, como nos Odyssey G5, G7 e G9.

A Samsung destaca essa curvatura do display em seus materiais de divulgação como significado de “imersão completa em todos os jogos”, porém não notei muita diferença ao navegar e jogar em relação às telas planas.

Praticamente, as laterias do monitor, por não serem próximas o bastante do campo de visão, não conferem aquela sensação de estar sendo “abraçado” pelo monitor, algo que seus irmãos mais caros possibilitam.

E isso acaba prejudicando a experiência de multitarefas, por exemplo, já que os conteúdos dos cantos se mantém longe do usuário.

Curvatura do CRG50 não é tão acentuada quanto nos outros modelos Odyssey (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Quando o assunto é qualidade de imagem, o Odyssey CRG50 tem tela do tipo VA, assim como o Odyssey G5 e algumas TVs da própria Samsung. A resolução, por sua vez, é de 1.920 por 1.080 pixels, e a taxa de atualização alcança 144 Hz.

Eu gostei bastante do desempenho do monitor, principalmente se considerarmos a sua categoria. No teste de contraste realizado no site Lagom LCD, pude perceber que ele separou bem todas as variações claras e escuras de azul, verde, vermelho, rosa, amarelo e branco.

Além disso, os tons de preto são devidamente perceptíveis e bem definidos quando vistos de frente. Quando a visualização é feita por outros ângulos, o CRG50 peca ao distorcer algumas cores, principalmente as mais brilhantes, enquanto as escuras ganham aspectos acinzentados.

Caso queira, é possível escurecer ainda mais as cores escuras, porém a alteração é feita via software, portanto pode ser que a visualização fique um pouco exagerada e superficial.

Geralmente, gostei da imagem do CRG50 considerando a sua categoria básica (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Para quem curte jogar no computador, o CRG50 tem 144 Hz, o básico para jogar com fluidez. A solução AMD FreeSync também está presente para eliminar as oscilações das imagens.

Em produtividade, as 23,5 polegadas do monitor são agradáveis, mas a opção de 27 polegadas me agradaria mais. Eu, que trabalho sempre com muitas abas do Google Chrome e programas abertos, senti que um pouco mais de tela não seria ruim.

Ficha técnica

  • Tela: 23,5 polegadas
  • Tipo do painel: VA;
  • Taxa de atualização: 144 Hz;
  • Resolução: 1.920 x 1.080 pixels (Full HD);
  • Curvatura da tela: 1800R;
  • Brilho máximo: 250 nits;
  • Tempo de resposta: 4 ms;
  • Recursos extras: Eye Saver Mode, equalizador de preto, FreeSync, Flicker Free;
  • Conectividade: 1x DisplayPort 1.2, 2x HDMI 1.4, entrada para fones;
  • Dimensões do produto sem suporte: 547.8 x 326.3 x 90.7 mm;
  • Conteúdo da embalagem: monitor, cabo de força 1,5 m, cabo HDMI, guia de configuração rápida.

Concorrentes diretos

Entre os monitores 144 Hz de mesma categoria do Samsung Odyssey CRG50, destaco o Ultragear 24GL600F, da LG, e o HERO 24 G2, da AOC.

O modelo da AOC é o que mais se destaca nesse segmento por conta do design que remete ao público gamer, trazendo detalhes em vermelho nas partes frontal e traseira da tela que passam uma ideia mais futurista.

A base e o suporte são outros destaques, principalmente por trazerem diversas opções de regulagens e um gerenciador simples de cabos — eles permitem girar em 90º, regular a altura e ajustar a inclinação.

A imagem do HERO 24 G2 também me agradou bastante, embora seja um pouco saturada. Já o brilho máximo do produto é de 350 nits, contra apenas 250 nits do Odyssey CRG50.

Com relação ao monitor 144 Hz da LG, temos um visual que não chama muita atenção, porém é mais bonito que o modelo da Samsung. Já a qualidade de imagem é agradável para a categoria, mas seu painel TN é inferior ao VA do Odyssey CRG50.

Vale a pena comprar o Samsung Odyssey CRG50?

O Odyssey CRG50 é um monitor gamer com boa qualidade de imagem, mas que não traz nenhum diferencial para os jogadores, com exceção dos 144 Hz de frequência.

Isso não seria um problema se estivéssemos falando de um produto de cerca de R$ 1.200, o que não é o caso por aqui. Sua construção é muito básica, sem contar com base e suporte extremamente simples que não justificam o seu preço acima de R$ 1.500.

Ou seja, fica muito difícil recomendar o monitor 144 Hz da Samsung numa faixa de preço que tem o tão acertado AOC HERO 24 G2, este que possui um visual mais robusto e agradável, além de uma qualidade de imagem melhor.]

O AOC HERO 24G2 é a melhor opção na faixa de R$ 1.500 (Imagem: Ivo Meneghel Jr./Canaltech)

Além disso, o próprio Odyssey G3, praticamente o sucessor o CRG50, já pode ser encontrado por cerca de R$ 1.700 em alguns varejistas, o tornando uma opção muito mais vantajosa.

Se custasse menos, o CRG50 poderia disputar diretamente com o LG Ultragear 24GL600F como melhor monitor 144 Hz barato do mercado brasileiro.

E aí, apesar do preço alto, acha que o Odyssey CRG50 vale a pena? Então, confira as ofertas dele abaixo!