Publicidade

Review Amazfit Band 7 | Uma Mi Band 7 com tela melhor

Por| Editado por Léo Müller | 21 de Outubro de 2022 às 17h33

Link copiado!

Review Amazfit Band 7 | Uma Mi Band 7 com tela melhor
Review Amazfit Band 7 | Uma Mi Band 7 com tela melhor
Amazfit Band 7

Em julho de 2022, a Huami — empresa que é apoiada financeiramente pela Xiaomi — apresentou sua nova geração de pulseiras inteligentes e trouxe ao mercado a Amazfit Band 7.

O dispositivo tem como proposta atingir um público que quer um dispositivo simples e eficiente para auxiliar na prática de atividades físicas e monitoramento de saúde. Um dos principais destaques é o sensor SpO2 com rastreamento contínuo, mas o vestível ainda tem outras funções bem interessantes para o uso diário.

Mas será que vale a pena apostar nesta smartband? Nesse review, eu levanto os principais pontos positivos e negativos do gadget, para te ajudar a decidir entre ele ou um possível concorrente na hora de comprar um relógio do tipo.

Continua após a publicidade

Design e construção

O Canaltech está no WhasApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

O design da Amazfit Band 7 evoluiu bastante em relação à antecessora, a Band 5. Agora, em vez da telinha fina, ela tem um display mais largo, que dá mais espaço para ler notificações ou até usar watchfaces mais elaboradas.

Todo o acabamento da caixa é feito em plástico, e isso deixa o acessório bem leve e confortável para o uso, tanto se você quiser usá-la para corridas ou exercícios intensos, quanto para o caso de pessoas que gostam de dormir com o relógio no pulso para monitorar o sono.

A pulseira é bem tradicional e é feita em borracha. O fecho é de encaixe e é bem firme para prender o acessório no pulso.

Continua após a publicidade

Tela

A Amazfit Band 7 tem uma tela de 1,47 polegada com resolução de 198x368 pixels. Para essa geração, a marca apostou em um design com o mostrador mais largo, em vez do fininho que é visto no modelo antecessor.

Agora, ela está bem mais parecida com a Mi Band 7 Pro do que com a versão comum da pulseira da Xiaomi, sendo quase um “híbrido” entre smartband e smartwatch. Isso ajuda a ver com mais facilidade os conteúdos exibidos, principalmente as notificações recebidas no celular pareado.

Continua após a publicidade

O painel conta com tecnologia AMOLED e isso é ótimo para dar mais contraste para o que é mostrado no visor, além de poupar bateria e permitir ver tudo com mais clareza e conforto mesmo com bastante interferência do sol, por exemplo.

Configuração e desempenho

Como de costume, a Huami não dá muitos detalhes sobre o hardware da Amazfit Band 7. Isso é bem comum em smartbands mais simples. De qualquer forma, a pulseira oferece um desempenho razoável para navegar entre as opções disponíveis na tela ou para abrir “aplicativos”.

Não chega a ser uma performance extremamente lisa, com respostas imediatas, mas o vestível não é nem um pouco lento para executar suas funções. Em resumo, ele tem uma performance aceitável.

Continua após a publicidade

Não há aplicativos disponíveis para download nesta pulseira, mas você pode baixar algumas funcionalidades extras, como um guia de escovação de dentes, lembretes para beber água ou alertas meteorológicos que checam a probabilidade de chegada de chuva.

Além disso, no aplicativo do celular também é possível baixar novas opções de watchfaces, que são os "papéis de parede” para o wearable. As opções são um pouco limitadas, mas há bastante modelos gratuitos bem interessantes.

Para armazenar tanto as funcionalidades extra quanto os novos mostradores, o relógio tem cerca de 30 MB de armazenamento, que são o suficiente para o que é proposto.

Continua após a publicidade

Usabilidade

A Amazfit Band 7 conta com o sistema operacional Zepp, que é o mesmo nome do aplicativo que deve ser usado no celular para fazer o pareamento e gerenciar o aparelho. Esse software é próprio da Huami e oferece uma usabilidade bem simples e intuitiva.

Além de monitorar os dados de saúde e exercícios físicos, a Amazfit Band 7 também tem suporte à Alexa. Dessa forma, é possível acessar a assistente digital da Amazon direto do pulso e até controlar itens de casa conectada, como lâmpadas ou controles universais.

Algo que me incomodou um pouco, no entanto, é que a pulseira tem leitor das notificações recebidas no celular, mas não permite responder às mensagens, nem mesmo com textos pré-definidos. Isso é uma função bastante comum em smartbands e faz falta neste modelo. É claro que isso pode mudar com futuras atualizações, mas preciso deixar claro que, neste momento, isso ainda não é possível.

Continua após a publicidade

Saúde e acompanhamento físico

A Amazfit Band 7 conta com vários modos de rastreamento de exercícios. Com ela, o usuário pode praticar tanto atividades terrestres quanto aquáticas, já que o aparelho tem resistência à água com profundidade de até 50 metros.

Eu não usei o dispositivo para natação, mas fiz algumas caminhadas com ela. Uma coisa que me incomodou um pouco, no entanto, é que mesmo concedendo todas as permissões de localização e uso do GPS para a pulseira, ela não conseguiu registrar as rotas que fiz.

Mesmo sem GPS integrado, ela tem essa funcionalidade desde que esteja conectada ao smartphone no momento do exercício — algo comum em bands do tipo. Mas não consegui nenhum modo de fazer esse recurso funcionar.

Continua após a publicidade

De qualquer forma, ela registrou bem minhas caminhadas e retornou dados interessantes sobre os exercícios, como frequência cardíaca, frequência dos passos, velocidade, entre outros.

Outro ponto legal é que seu oxímetro funciona constantemente, então você pode acompanhar o nível de oxigênio no sangue o tempo todo e até receber alertas quando estiver muito baixo.

O mesmo vale para o monitor de batimento cardíaco, que permite enviar alertas quando a frequência está muito alta ou muito baixa. Todos esses dados podem ser configurados no aplicativo para que você escolha os níveis de cada um.

Continua após a publicidade

Bateria e carregamento

A Huami promete que a bateria da Amazfit Band 7 pode chegar a 18 dias de uso com uma única carga em um uso mais moderado. Eu usei esta pulseira por uma semana e a autonomia foi muito boa. Eu carreguei completamente em uma sexta-feira e ela durou a semana inteira com folga. No final da tarde da sexta-feira seguinte, a carga era de 35%.

O uso que fiz dela foi bem misto: nos primeiros dias eu não ativei as notificações e deixei para fazer isso só na quarta-feira. O monitor de SpO2 ficou ligado continuamente e o alerta definido para 90%. Já o rastreamento de batimento cardíaco ficou ativado para registrar os dados a cada cinco minutos.

Continua após a publicidade

Usei o registro de caminhada em uma única ocasião, apesar de ter feito outras caminhadas com ele sem ativar a função. Neste caso, ele só registra os passos realizados, mas não dá dados mais detalhados, como frequência cardíaca, distância percorrida, etc.

O carregamento é feito com um carregador padrão da Huami, que deve ser encaixado na parte inferior do mostrador.

Concorrentes diretos

Continua após a publicidade

Apesar de ser mais parecida visualmente com a Mi Band 7 Pro, a principal concorrente da Amazfit Band 7 é a Mi Band 7. Isso porque suas especificações e características são mais equivalentes com o modelo "comum" da Xiaomi.

Ambas contam com resistência contra água e podem ser usadas para a prática de exercícios físicos aquáticos. Já para os terrestres, as duas não contam com GPS integrado e dependem do smartphone para mapear a rota feita. A "independência" do celular é algo que fica restrita à Mi Band 7 Pro.

A durabilidade da bateria também é muito boa nos dois modelos, mas a estimativa da Mi Band é de 15 dias, enquanto a Amazfit Band chega a 18. Por fim, a faixa de preço é a mesma para os dois modelos: entre R$ 200 e R$ 300.

Amazfit Band 7: uma Mi Band 7 com tela melhor

Amazfit Band e Mi Band geralmente já têm bastante similaridades entre si e, nessa geração não poderia ser diferente: os dispositivos são muito parecidos, a não ser por aspecto muito evidente: a tela da Amazfit é bem mais larga.

Isso acaba sendo um ponto positivo para ela, já que é possível ver o conteúdo com mais conforto sem abrir mão do design simples pelos quais as smartbands são populares. Visualmente, ela parece a versão Pro da Mi Band, mas não tem os recursos tão avançados, como GPS integrado.

Sua bateria é o principal destaque. Com autonomia para até 18 dias, você poderá usá-la por muito tempo sem precisar se preocupar em carregar todo dia ou com mais frequência.

Tudo isso torna a Amazfit Band 7 uma ótima opção em custo-benefício. Ela é uma excelente companheira para suas atividades físicas e só peca, mesmo, por não permitir que as mensagens sejam respondidas direto do pulso. Ou pelo menos por enquanto, já que isso pode mudar com futuras atualizações.