Plex é acusado de incentivar pirataria em sua plataforma

Por Felipe Ribeiro | 10 de Março de 2020 às 10h44
iMore

O Plex, aplicativo de vídeo que permite ao usuário compartilhar toda sua biblioteca de vídeos à vontade, se tornou o mais recente alvo do combate à pirataria nos Estados Unidos. O CreativeFuture, grupo lobista que representa mais de 500 empresas e organizações junto ao governo americano para defendê-los de possíveis irregularidades no campo dos direitos autorais, está acusando o Plex de ser um "perigoso media player digital", juntando o app a um "seleto" grupo de programas que não se responsabilizam por eventuais piratarias que ocorram em suas plataformas.

Para efeito de comparação, antigamente, quando gravávamos um programa de TV ou mesmo um filme por meio do aparelho, deveríamos ter uma cópia física do mesmo produto gravado. O mesmo acontecia com as ROMs de jogos de videogame. Basicamente, o mesmo acontece hoje e o Plex, por permitir que as pessoas compartilhem qualquer vídeo e até transmitam o que aparece em sua TV, está sendo implicado com essas regras.

"O problema agora se encontra em um momento bem delicado e perigoso e podemos voltar a uma crise bem parecida com a do início dos anos 2000, bem antes do streaming ser o que é hoje. Graças a um aplicativo de mídia em rápido crescimento chamado Plex, a pirataria baseada em torrents está de volta à moda e melhor do que nunca (para criminosos que não têm problemas em lucrar com conteúdo que não lhes pertence)", escreveu o CreativeFuture.

Imagem: Plex

Para deixar as coisas mais claras, o CreativeFuture comparou o Plex com outro aplicativo, o Kodi, que também sofreu críticas e pressões devido ao comportamento de seus usuários. “Para entender o que é o Plex e como ele funciona, é útil olhar para o Kodi — outro perigoso reprodutor de mídia digital sobre o qual escrevemos várias vezes aqui no CreativeFuture", explica o grupo.

A alegação de que o Plex é perigoso é apoiada por um artigo publicado no The Verge, que relatou as chamadas "ações do Plex". Sem entrar em detalhes, os "compartilhamentos" permitem efetivamente aos usuários do Plex acessarem o conteúdo nos servidores de outros usuários que, em alguns casos, poderiam ter sido obtidos ilegalmente.

É fato que alguns usuários do Plex permitem que outras pessoas acessem enormes bibliotecas de conteúdo pirateado, sendo que alguns deles são direcionados por grupos antipirataria como o BREIN. Porém, em comum com tantas controvérsias sobre pirataria nos últimos anos, o CreativeFuture considera que, se os usuários do Plex estiverem fazendo algo ilegal, a empresa por trás do software deve ser responsabilizada por suas ações.

Acusou

A esse respeito, os lobistas alegam que, como “a maioria” das plataformas tecnológicas, o Plex está fazendo o possível para evitar a responsabilização e não está se dedicando como deveria para combater o problema: "Ao fechar os olhos para o seu problema de pirataria, o Plex se juntou aos pesos pesados ​​da internet que se recusam a assumir a responsabilidade pelo comportamento criminoso em suas plataformas".

Uma solução para isso pode ser a ativação de algum mecanismo que impeça os usuários do Plex de compartilhar material pirateado. Obviamente isso significaria implicações enormes para a privacidade do usuário final, cálculos quase impossíveis para determinar quem pode adicionar conteúdo a uma biblioteca dentro da lei em várias jurisdições, além de uma reação inevitável e migração para outras plataformas que rejeitam tais invasões.

Também há conteúdo legalizado

Em 2019, o Plex anunciou que começaria a transmitir milhares de filmes, programas de TV e documentários musicais gratuitos a partir do aplicativo, depois de fechar acordos com detentores de direitos relevantes. O conteúdo é suportado por anúncios e a esperança é expandir a oferta no futuro.

“Com o tempo, adicionaremos mais coisas de diferentes estúdios e criadores — desde filmes de Hollywood vencedores do Oscar até os mais recentes da Índia, Rússia, China, Japão, África, América Latina, Austrália, Nova Zelândia e Europa para serem realmente legais filmes independentes recém-saídos de festivais”, disse a empresa.

O Plex ainda não se manifestou sobre as acusações do CreativeFuture.

E você, amigo leitor, faz uso do Plex com frequência? O que acha do aplicativo? Deixe nos comentários!

Fonte: TorrentFreak

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.