TecToy investe R$ 200 milhões e aposta em portfólio com dispositivos para varejo

TecToy investe R$ 200 milhões e aposta em portfólio com dispositivos para varejo

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 27 de Agosto de 2021 às 19h20
TecToy

Famosa nos anos 1980 e 1990 por fabricar videogames e brinquedos tecnológicos, a TecToy aposta cada vez mais em seu novo portfólio de produtos dos segmentos de telefonia, gamer, áudio e internet das coisas (IoT, na sigla em inglês). Há um ano, a empresa apresentou o celular TecToy On. Ainda durante a pandemia, lançou caixas de som, headsets, acessórios para games (como teclados e joysticks) e um smartwatch.

Agora, se uniu à chinesa Sunmi e já certificou mais de 40 produtos para o mercado varejista. São PDVs tradicionais, quiosques para self checkout e terminais de pagamentos inteligentes. Os dispositivos usam inteligência artificial aliada a IoT e são voltados para as necessidades do Comércio 4.0.

Imagem: Reprodução/Canaltech/Ivo Meneghel Junior

Para ampliar a capacidade de produção, a companhia reformulou a fábrica que tem no Polo Industrial de Manaus. Os mais de 300 colaboradores que atuam na unidade são responsáveis pela fabricação de seus principais produtos.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Cerca de R$ 200 milhões em investimentos

Os investimentos e as aquisições já somam cerca de R$ 200 milhões. "Nossa missão é desenvolver produtos inovadores para atender e superar as expectativas de nossos consumidores”, explica Valdeni Rodrigues, CEO da TecToy. “Temos como objetivo ser a maior indústria nacional de eletroeletrônicos nos próximos anos", conclui.

Outra aposta da marca é estimular a experimentação de seus novos produtos. Para isso, inaugurou 15 lojas que funcionam como showrooms: duas no Rio de Janeiro (Galeria Extra da Barra da Tijuca e Galeria Extra da Vila Isabel) e as demais em São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Manaus e Brasília. Até o final do ano, a marca quer ter unidades semelhantes em todos os Estados brasileiros.

Rodrigues destaca que a ideia é manter a conexão com os clientes além do momento da compra. “Em nossas lojas é possível encontrar desde assistência técnica e manutenção até serviços agregados, oferecidos por meio dos parceiros da marca", completa.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.