Robôs criados para aumentar produção da Tesla ainda não estão funcionando

Por Wagner Wakka | 07 de Junho de 2018 às 08h52
DepositPhotos
Tudo sobre

Tesla

A Tesla está tentando aumentar o ritmo de produção do Model 3, um dos modelos da sua linha de carros. Para isso, a empresa enviou da Alemanha para sua fábrica em Nevada, nos EUA, uma nova gama de robôs que poderiam melhorar o rendimento. O projeto era que os novos aparelhos estivessem instalados até o fim de maio, mas, no início de junho, eles ainda não estão funcionais.

De acordo com o Business Insider, fontes internas da Tesla revelam que uma das máquinas gigantes que deveria unir os módulos de bateria do carro ainda não está funcionando completamente. A ideia era de ter este aparelho em sua plena capacidade até o último fim de semana, o que não aconteceu.

O veículo ainda informou que um porta-voz da Tesla enviou um vídeo da máquina e informou que, até o momento da publicação da matéria, o robô ainda está em modo de testes. A assessoria da empresa, contudo, negou que a proposta seria de ter a máquina funcional já no domingo.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O projeto de inserir a tecnologia na fábrica em Nevada é tentar bater a meta de produzir 5 mil Model 3 por mês até o fim de junho. Segundo Elon Musk, CEO da empresa, no momento a fábrica tem apenas um terço do tamanho planejado, sendo que o projeto é de se tornar a maior fábrica do mundo.

"Esta fábrica está fabricando mais baterias do que todas as outras fábricas na Terra", disse Musk. "É algo épico. São duas horas para andar por tudo". Nesta terça (05), Musk teve uma reunião com acionistas e reafirmou a dificuldade de bater a meta para o mês. Entretanto, ele diz que atualmente está implementando uma terceira linha de montagem na fábrica de Fremont para conseguir alcançar os 5 mil carros por mês.

Recentemente, o Business Insider teve acesso a um documento que mostra que a produção do veículo tem gerado um custo muito alto para a Tesla. E-mail internos do primeiro trimestre deste ano mostram que 40% de tudo que a fábrica produziu foi considerado “não conforme”, isso é, está fora do padrão e não pode ser utilizado. Com isso, estima-se que a montadora tenha gasto ao menos US$ 150 milhões só com sucata desde o início do ano.

Momento difícil

A dificuldade de alcançar a meta de 5 mil Model 3 produzidos por mês vem junto com um polêmico pedido do Fundo Soberano da Noruega, um dos principais investidores da Tesla. O grupo pede que Musk abandone o cargo de presidente do console da empresa ou deixe de ser CEO.

A Tesla teve uma votação a respeito do afastamento, sendo que o Fundo se mostrou contra Musk. Contudo, o conselho se dividiu e optou pela permanência do presidente executivo. Uma nova votação deve acontecer em breve.

Fonte: Business Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.