Google investe R$ 4 milhões para combater desinformação entre jovens

Por Thaís Augusto | 06 de Junho de 2019 às 18h51
Reprodução
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

A Google anunciou nesta quinta-feira (6) mais um esforço na luta contra a desinformação. A empresa vai investir R$ 4 milhões na ONG Instituto Palavra Aberta para o desenvolvimento de um programa de educação midiática que deve ensinar as novas gerações a pensar criticamente e participar da sociedade de forma ativa.

A iniciativa EducaMidia vai gerar um currículo de educação midiática alinhado com os princípios da Base Nacional Curricular Comum (BNCC) e treinar cinco mil professores e 175 mil alunos ao longo dos próximos dois anos. "O programa pretende ter um impacto ainda mais amplo, conscientizando a população brasileira sobre a importância da educação midiática e sensibilizando escolas públicas, por meio de parcerias com prefeituras", comentou a gerente de políticas públicas e relações governamentais da Google Brasil, Juliana Nolasco.

Ainda de acordo com a Google, o EducaMidia vai permitir que professores e alunos desenvolvam habilidades cruciais para a vida em um mundo conectado.

Google investe R$ 4 milhões para combater desinformação entre jovens

O subsídio ao programa é parte de uma colaboração com a Google News Initiative, na qual o Google.org, braço de filantropia da Google, destinou US$ 10 milhões para apoiar projetos dedicados à educação midiática em dois anos.

Além do trabalho com estudantes, o EducaMidia deve criar materiais para conscientizar famílias e outras organizações da sociedade civil. "Os desafios são muitos, mas enxergamos que as soluções também devem ser, afinal a educação midiática deve ser uma conquista almejada por toda a sociedade", escreveu Nolasco.

Não é a primeira iniciativa da Google para combater a desinformação e notícias falsas no mundo digital. A empresa garante promover atualizações constantes em seus algoritmos e produtos para proteger os usuários. "Nós também combatemos a desinformação cortando o fluxo de tráfego e dinheiro para os agentes maliciosos. Isso inclui todos os nossos esforços de combate ao spam, bem como políticas específicas para lidar com sites que tentam enganar nossos usuários".

Fonte: Google

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.