Facebook completa aquisição da Giphy por US$ 400 milhões

Por Felipe Ribeiro | 18 de Maio de 2020 às 09h19
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

Nem mesmo a crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) impediu o Facebook de fazer grandes investimentos. A empresa de Mark Zuckerberg finalizou a compra da Giphy, um dos maiores e mais famosos mecanismos de busca de GIFs animados do mundo. Embora não tenha revelado as cifras envolvidas no negócio, analistas afirmam que a transação custou em torno dos US$ 400 milhões.

O Giphy já está presente nas plataformas do Facebook há algum tempo, sendo responsável por mais de 50% do tráfego do aplicativo. De acordo com a rede social, após a entrada da empresa no grupo, ela será alocada no time do Instagram, que deve fazer algumas mudanças e investir ainda mais funcionalidades e melhorias na plataforma.

Fundado em 2013, o Giphy começou como um simples mecanismo de busca para GIFs. No mesmo ano, porém, a Giphy (empresa) já teve uma grande expansão, sendo adicionada a redes sociais como o próprio Facebook e o Twitter. Apesar da aquisição pela rede social de Zuckerberg, dados mais recentes indicam que a Giphy havia levantado US$ 150,9 milhões em cinco rodadas de investimentos, apoiado por financiadores como DFJ Growth, Lightspeed, Betaworks, GV, Lerer Hippeau, entre outros.

GIF de comemoração do Facebook com a Giphy/ Animação: Facebook

"A Giphy continuará operando sua biblioteca (incluindo sua coleção de conteúdo global) e estamos ansiosos para investir ainda mais em sua tecnologia. As pessoas ainda poderão fazer o upload de GIFs e os desenvolvedores parceiros da plataforma continuarão a ter o mesmo acesso às APIs do Giphy, bem como a nossa comunidade criativa, que ainda estará apta a criar mais montagens e GIFs", disse o Facebook em postagem no seu blog.

Fonte: TechCrunch, Axios, Facebook

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.