Gravadora de Katy Perry processa youtuber que a defendeu em ação

Por Felipe Ribeiro | 10 de Fevereiro de 2020 às 15h50
Divulgação/ Warner

A cantora Katy Perry (e seus compositores) perdeu um processo no ano passado em que teve que pagar US$ 2,8 milhões ao rapper Flame por uma suposta cópia de melodia na música Dark Horse. O caso gerou comentários de muitos especialistas e youtubers, entre eles, o músico Adam Neely, que defendeu Perry em um vídeo dos mais comentados em seu canal. Acontece que, por ironia do destino, Neely agora está sendo processado pela Warner Chappel, gravadora de Kate Perry, por capitalizar em cima da polêmica envolvendo Flame.

O processo registrado solicita que o youtuber dê toda a monetização de seu vídeo à Katy Perry e sua gravadora, além do pagamento de direitos autorais pelo suposto uso do trecho da canção para a gravação do material.

Entenda melhor o caso

Em agosto de 2019, um júri constatou que os compositores do hit Dark Horse violaram os direitos do rapper cristão Flame sobre sua faixa de 2008 Joyful Noise. O julgamento de US$ 2,78 milhões caiu como uma bomba na indústria, o que levou Katy Perry e seu staff classificarem a decisão como uma "farsa da justiça".

“Os compositores de Dark Horse veem os veredictos como uma farsa da justiça. Não há infração”, dizia o comunicado. “Não havia acesso de similaridade substancial. A única coisa em comum é a expressão das notas 'C' e 'B' que foram espaçadas uniformemente e repetidas. Pessoas, incluindo músicos de todo o mundo, estão expressando sua consternação com isso”, completou.

Um dos especialistas que acharam a ação ridícula foi o músico e youtuber Adam Neely, que postou um vídeo no YouTube explicando por que essa decisão não fazia absolutamente nenhum sentido. O vídeo, no qual ele apoiou o lado de Perry, obteve milhões de visualizações e, como resultado, o músico foi convidado a comentar por várias publicações de notícias que cobriam o caso.

Acontece que a gravadora de Perry, a Warner Chappel, vê esta defesa de Neely como uma forma que o músico encontrou para capitalizar este caso para si próprio e resolveu processá-lo. "A gravadora de Katy Perry, Warner Chappell, acabou de fazer uma reclamação sobre um dos meus vídeos. Eles não me contrataram para fazer este vídeo de defesa do caso, mas, no entanto, eles reivindicaram a receita de publicidade dessa publicação”, explica ele.

E não para por aí. Além de reivindicar as cifras obtidas com a monetização do vídeo, a gravadora de Perry reclama que o youtuber usou a música Dark Horse sem autorização, o que também configura quebra de direitos autorais. Mas há um detalhe: a música não foi utilizada.

Veja o vídeo de Neely:

O conteúdo que supostamente foi usado indevidamente, de acordo com a Warner Chappell, foi encontrado entre 35 e 44 segundos no vídeo de Neely. No entanto, o youtuber alega que essa parte da faixa era, na verdade, uma demonstração de uma seção de Joyful Noise, não de Dark Horse. Resta saber se o rapper Flame também irá processar Neely, o que deixaria essa salada ainda mais confusa.

É bom lembrar, porém, que o YouTube não fez essa queixa ao vídeo de Neely, e sim o staff de Perry.

O desfecho dessa história parece bem incerto.

Fonte: Torrent Freak

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.