Uber pode receber investimento de US$ 10 bilhões da SoftBank

Por Redação | 13 de Novembro de 2017 às 11h54

A Uber pode estar prestes a receber um investimento de US$ 10 bilhões pelas mãos, principalmente, do conglomerado de telecomunicações japonês SoftBank. O acordo, que vem sendo negociado desde o primeiro semestre deste ano, já teria sido confirmado pela empresa de transportes, mas ainda restaria um pequeno caminho a seguir para sua concretização.

A maior parte do montante virá pelas mãos da operadora. De acordo com os detalhes do negócio, o primeiro bilhão investido virá da companhia japonesa ao lado de dois bancos de investimentos, o Dragoneer Investment Group e a General Atlantic. Os US$ 9 bilhões restantes também chegariam por meio da SoftBank, mas através da compra de cotas de acionistas da Uber.

E é aqui que está o gargalo que pode derrubar todo o negócio, devido aos termos agressivos firmados pelos japoneses. A empresa deseja fazer uma tender offer aos acionistas, ou seja, fixando um preço para aquisição das cotas possuídas por eles. Entretanto, vai entrar no negócio somente se conseguir um mínimo de 14% de participação na Uber, caso contrário abandonará as negociações, levando consigo, possivelmente, também os bancos de investimento.

Além disso, o acordo reduziria ainda mais a influência do ex-CEO e fundador da empresa de transportes, Travis Kalanick. Esse também seria um dos termos exigidos pela SoftBank para que a negociação siga adiante. O lado bom dessa história é que tanto o executivo quanto outros investidores iniciais da Uber têm a chance de adicionarem alguns milhões de dólares às contas bancárias, quase que do dia para a noite.

Existem, ainda, outros benefícios no negócio. A entrada da empresa japonesa no grupo de acionistas da Uber também é uma das condições para que a Benchmark Capital, uma das primeiras investidoras da companhia, abandone seu processo contra Kalanick. Ele é acusado de má gestão e de tentar assumir o controle da empresa de maneira ilegal, por meio de contatos e executivos próximos, de forma a facilitar seu retorno ao assento de CEO em um futuro próximo.

Basicamente, todos os alvos se encontram nas costas do fundador, e, como especialistas já haviam afirmado antes, esta deve ser a hora de ele provar o que está em primeiro lugar: sua busca por controle ou a saúde da companhia que ajudou a erguer. Não se sabe ainda qual atitude ele vai tomar, mas a pressão é clara

Em comunicado oficial, a Uber confirmou o interesse da SoftBank e os termos do acordo – que já haviam sido revelados pela empresa japonesa, em agosto. Entretanto, não detalhou para que o montante será utilizado, limitando-se a dizer que deseja aumentar seus esforços de expansão e tecnologia por conta do investimento recebido.

Há quem diga, ainda, que o negócio, se concretizado, pode ser o primeiro passo para uma fusão entre a Uber e a Grab, sua grande rival no mercado de transporte por aplicativos na Ásia. A SoftBank possui boa parte da companhia e pode se interessar em facilitar a união das duas, mas esse, provavelmente, ainda é um assunto para o futuro.

Fonte: Bloomberg, Quartz

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.