Programadores do Projeto GNU querem que Richard Stallman peça afastamento

Por Rafael Rodrigues da Silva | 10 de Outubro de 2019 às 10h19

Richard Stallman é uma lenda viva da computação, conhecido por fundar e liderar todo o movimento de software livre e o Projeto GNU. Mas, recentemente, Stallman perdeu muito de seu prestígio na comunidade ao defender publicamente Marvin Minsky, um finado ex-professor do MIT que recentemente descobriu-se ter sido um dos usuários do “harém” do bilionário Jeffrey Epstein e que teria usado de suas conexões com Epstein para abusar sexualmente de uma adolescente — praticando dois crimes simultaneamente, o de estupro e o de pedofilia.

Desde que Stallman defendeu o ex-professor em setembro, alegando que a acusação era “muito forte” e que manchava o nome de uma mente que foi instrumental para o desenvolvimento dos sistemas de inteligência artificial, o prestígio do ativista caiu tanto que ele foi pressionado a largar o cargo que ocupava na Fundação para o Software Livre (FSF). Mas, pelo menos para diversos desenvolvedores que fazem parte do Projeto GNU, o afastamento de Stallman deveria ser ainda maior.

Foi esse desejo que levou 18 programadores do Projeto a assinar uma carta aberta pedindo explicitamente pela saída de Stallman não só da chefia, mas que ele também não mais representa os mesmos ideais de todos aqueles que colaboram para o projeto. Por isso, os programadores sugerem que talvez seja a hora de rever quem deverá liderar a organização. A carta ainda afirma que todos possuem muita gratidão por tudo aquilo que Stallman ajudou a criar e pelo papel dele de iniciar a visão de um sistema operacional realmente livre, mas que talvez ele não esteja preparado para os novos desafios de nosso tempo.

Isso acontece porque a posição de Stallman no projeto é, hoje, extremamente complicada: desde a defesa sobre as condutas pedófilas de seu velho amigo, que obrigou Stallman a renunciar o cargo da FSF, o mesmo não aconteceu no Projeto GNU, onde ele ainda continua como o líder máximo. E, como a FSF e GNU são entidades fluidas que se mesclam em diversos momentos, é como se o afastamento dele tivesse sido apenas para acalmar a mídia, mostrando que talvez Stallman não acredite que tenha cometido qualquer erro de julgamento em sua defesa do ex-professor.

Até o momento, o único comentário de Stallman sobre a situação é de que, como chefe do GNU, ele trabalhará junto com os líderes da FSF para definir como serão as relações futuras entre as duas entidades. Já a FSF ainda não se pronunciou sobre o caso, e muitos acreditam ser pelo fato de, apesar de ter renunciado ao cargo, Stallman ainda possui muita influência na Fundação.

Fonte: ZDNet

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.