PIX Saque e PIX Troco já têm data e limites para estreia

PIX Saque e PIX Troco já têm data e limites para estreia

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 02 de Setembro de 2021 às 19h33
Montagem/Canaltech

O Banco Central regulamentou nesta quinta-feira (2) duas novas modalidades para o PIX: o PIX Saque, que permite o saque em dinheiro em estabelecimentos comerciais; e o PIX Troco, também envolve a retirada de cédulas, mas especificamente para pagamento de compras e serviços. Ambas estarão disponíveis para o público a partir de 29 de novembro. 

O PIX Saque irá funcionar com o cliente indo até um estabelecimento comercial que oferta a modalidade, como supermercados, farmácias, entre outros, realizando um PIX a partir da leitura do QR Code. Após a autenticação do pagamento, o valor da transferência é convertido em dinheiro. Caso o local não tiver cédulas em caixa, basta informar a indisponibilidade do serviço.

O PIX Troco tem operação parecida, com a diferença de ser realizada durante uma compra ou quitação de serviço, e, claro, com a retirada de cédulas além do preço pago. Então, você poderá, por exemplo, comprar itens de uma padaria a R$ 50 e retirar R$ 30 em dinheiro simultaneamente, transferindo um total de R$ 80. O extrato da transação vai especificar o destino de cada montante.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Exemplo de como as novas modalidades irão funcionar. Imagem: Captura de tela/Dácio Augusto

Mas o que as lojas receberiam em troca da distribuição de suas cédulas no caixa? O Banco Central acredita que os estabelecimentos comerciais podem se beneficiar das novas modalidades do PIX com a visibilidade, por ser um local que pode ser usado para saque, e com a possibilidade de aumentar a segurança, já que, assim, uma farmácia, por exemplo, teria menos dinheiro físico acumulado — o que pode diminuir a incidência de roubos e furtos.

“A oferta do serviço diminuirá os custos dos estabelecimentos com gestão de numerário, como aqueles relacionados à segurança e aos depósitos, além de possibilitar que os estabelecimentos ganhem mais visibilidade para seus produtos e serviços, num efeito vitrine”, diz o Banco Central.

Além disso, os estabelecimentos poderão receber tarifas para cada saque, que podem ficar entre R$ 0,25 e R$ 0,95, a partir de acordos entre as lojas e as instituições financeiras envolvidas. 

Limites para transação

As duas novas modalidades são opcionais, seja para ambas ou apenas uma; e terão limites de valor para as transações. Durante o dia, será de R$500, e, à noite e na madrugada, vai funcionar das 20 horas às 6 horas, com retirada de até R$ 100. No entanto, as instituições financeiras participantes poderão definir limites mais baixos, baseados no perfil do cliente, na localização, no horário da operação e em critérios de segurança.

Todos os clientes que tiverem conta em uma das instituições participantes do PIX poderão utilizar os novos serviços, e terão direito a oito operações gratuitas por mês para as pessoas físicas, contando os saques tradicionais.

Fonte: G1, InfoMoney

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.