Pix Cobrança traz nova solução de pagamentos semelhante a boletos por Códigos QR

Por Felipe Gugelmin | Editado por Claudio Yuge | 14 de Maio de 2021 às 20h00
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Chega ao Brasil nesta sexta-feira (14) o Pix Cobrança, nova solução de pagamentos que funciona de forma semelhante a boletas, mas opera usando Códigos QR. A nova ferramenta vai permitir que empresas e prestadores de serviço criem um código que pode ser enviado aos consumidores para a realização de pagamentos que, a princípio, vão ocorrer somente de forma imediata.

O Pix Cobrança permite que emissores introduzam informações sobre pagamentos, juros, descontos e multa dentro dos códigos gerados — elementos em comum com boletos bancários tradicionais. Além disso, assim como nos boletos, será possível trabalhar com datas de validade que, se não forem respeitadas, acionam questões como os juros, por exemplo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A proposta da solução é oferecer métodos de pagamento mais seguros, competitivos e rápidos — uma transação pode acontecer em até dez segundos. A novidade está disponível para lojistas, fornecedores, prestados de serviço e usuários pessoas físicas, que podem usá-la como uma alternativa para o pagamento a prazo de compras e contas.

Fase de transição

Inicialmente, o Banco Central (BC) pretendia disponibilizar a nova modalidade com recursos de agendamento, que foram adiados para uma data futura. A previsão da instituição é a de que soluções do tipo devem fazer sua estreia no dia primeiro de julho deste ano. O período atual é considerado de transição, e não foram especificados quais as punições para as instituições que descumprirem as regras.

A decisão foi motivada por uma mudança no Regulamento do Pix divulgada no dia 22 de abril deste ano. A mudança estabelece que instituições financeiras que não conseguirem proporcionar a experiência completa do pagamento (com direito a código QR para pagamentos em datas futuras) entre os dias 14 de maio e 30 junho precisaram oferecer ao menos a possibilidade do pagamento imediato, com encargos e abatimentos devidamente calculados.

O BC também determinou que, a partir do dia 1 de setembro deste ano deve entrar em ação o Pix Agendado, que permite usar uma Chave Pix para agendar um pagamento para uma data futura. Embora o recurso já exista de forma facultativa, ele passará a ser obrigatório para todas as instituições, que deverão fazer os ajustes necessários em suas interfaces e sistemas para oferece-la.

Fonte: UOL EconomiaBanco Central do Brasil

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.