No Brasil, Google apresenta crescimento na oferta de cartões de vale-presente

Por Rafael Arbulu | 06 de Agosto de 2019 às 21h10
(Imagem: Divulgação/Google)
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

Um dado curioso de crescimento da Google no Brasil pode significar um bom impulso na indústria nacional de desenvolvimento de aplicativos móveis: segundo apuração feita pela revista EXAME, a Google obteve, em 2018, crescimento de impressionantes 90% na venda de vale-presentes, os vouchers com códigos que adicionam fundos para compras de apps e serviços de assinatura da loja virtual Play Store, pertencente à empresa de Mountain View.

Outros dados interessantes mostram que, entre novembro de 2017 e novembro de 2018, a Google registrou aumento de receitas dos serviços de assinatura crescerem (220%), e o volume de desenvolvedores brasileiros de apps que obtiveram faturamento mensal de até US$ 100 mil aumentaram em 40%. Para o caso de receitas superiores a US$ 300 mil mensais, o número mais que dobrou neste período.

Play Store, a loja de apps da Google para o Android: crescimento de sua abrangência no Brasil se dá pelo aumento de vendas de cartões vale-presente para download de apps pagos

A ideia de comprar vouchers de uso digital pode, segundo a revista, significar uma ampliação na indústria de desenvolvimento de aplicações digitais. Os cartões podem ser usados para adicionar fundos na carteira virtual de um usuário dentro da loja, e tais fundos só podem ser aplicados na aquisição de apps pagos e assinaturas, como revistas digitais ou serviços de streaming. Há também o uso deles para serviços de rotina, como recarga de créditos em celulares pré-pagos.

O levantamento feito pela EXAME e confirmado com a Google mostra que há valor nos esforços da empresa em disponibilizar seus produtos em diversas frentes: os cartões de vale-presente da Play Store são comumente encontrados em prateleiras de caixa de supermercados, grandes cadeias varejistas e também podem ser adquiridos online.

Isso pode ser especialmente útil à Google em sua concorrência com a Apple: segundo informações da empresa de pesquisa de mercado Sensor Tower, a Maçã de Cupertino ainda lidera o setor de ofertas de aplicações digitais no âmbito global: entre 2017 e 2018, a fabricante do iPhone e do sistema operacional iOS atingiu aumento de faturamento de 20,4% (de US$ 38,7 bilhões para US$ 46,6 bilhões), enquanto a Google, com seu Android, ficou “apenas” com crescimento de 27,3% no mesmo período (US$ 19,8 bilhões para US$ 24,8 bilhões).

Fonte: Exame

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.