Mirando o Facebook, Tim Cook sobe o tom e critica práticas das redes sociais

Por Rui Maciel | 28 de Janeiro de 2021 às 18h40
Divulgação

E a disputa entre Facebook e Apple se intensifica dia após dia. Nesta quinta-feira (28), Tim Cook, CEO da Maçã, criticou a polarização e a desinformação nas redes sociais. O alvo, claro, era a empresa de Mark Zuckerberg.

Em participação na conferência Computers, Privacy and Data Protection (Computadores, Privacidade e Proteção de Dados, na tradução livre), Cook criticou aplicativos que, segundo ele, coletam muitas informações pessoais e priorizam "teorias de conspiração e incitação à violência, simplesmente por causa de suas altas taxas de engajamento".

“Em um momento de desinformação galopante e teorias de conspiração alimentadas por algoritmos, não podemos mais fechar os olhos para uma teoria da tecnologia que diz que todo engajamento é um bom engajamento - quanto mais longo, melhor - e tudo com o objetivo de coletar o máximo de dados possível ”, disse Cook.

Ele não citou o nominalmente Facebook, mas as duas empresas estão em uma disputa intensa quando o assunto é proteção de dados. A Apple está se preparando para implementar notificações de privacidade nem seu sistema operacional mobile, o iOS 14. E segundo muitos setores da indústria de publicidade digital essas atualizações na plataforma farão com que alguns usuários se recusem a permitir o uso de ferramentas de segmentação de anúncios.

Também nesta quinta-feira, Cook criticou as práticas das redes sociais que, segundo ele, minam a confiança do público nas vacinas e encorajam os usuários a se juntar a grupos extremistas.

“Já passou da hora de parar de fingir que essa abordagem não tem um custo - de polarização, de perda de confiança e, sim, de [aumento da] violência. Não se pode permitir que um dilema social se torne uma catástrofe social.", afirmou o CEO.

Facebook também critica a Apple

Por sua vez, o Facebook acusou a Apple de conduta anticompetitiva. Isso porque a fabricante do iPhone tem um catálogo crescente de aplicativos pagos, mas também o próprio negócio de publicidade digital. Na última quarta-feira (27), abordando o tema, Mark Zuckerberg (cuja empresa controla não apenas o próprio Facebook, mas também o Instagram e o WhatsApp) afirmou que a Apple tem “todos os incentivos para usar sua posição dominante na plataforma para interferir no funcionamento de nossos aplicativos e outros”.

E em resposta aos comentários de Cook feitos nesta quinta, o Facebook disse em um comunicado que acredita que “a Apple está se comportando de forma anti-competitiva ao usar seu controle da App Store para beneficiar seus resultados financeiros à custa dos desenvolvedores de aplicativos e pequenas empresas”.

Fonte: Reuters  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.