Manda-chuva da Samsung se envolve (de novo) em escândalo de corrupção

Por Redação | 13.02.2017 às 21:55

Um dos chefões da Samsung está, novamente, envolvido em um escândalo de corrupção na Coreia do Sul. Jay Y. Lee, vice-presidente da divisão de eletrônicos da companhia, está sendo processado pelo governo por participar de esquemas ilegais junto à presidente do país, Park Geun-hye, e seu amigo Choi Soon-sil.

"Direi novamente a verdade nos tribunais", afirmou Lee à imprensa, acompanhado de seus advogados e de vários oficiais da Samsung. O executivo é tecnicamente o VP responsável por produtos como o Galaxy S7 e o finado Note7. Ele assumiu o cargo depois que seu pai, antes no posto, teve um ataque cardíaco, em 2014. Fora ele, dois outros executivos da empresa participaram novamente do inquérito.

Um porta-voz da procuradoria federal afirmou que muito em breve a justiça decidirá se vai ou não emitir um segundo mandado de prisão para o executivo. O primeiro, aliás, foi registrado em janeiro, e o escritório ainda está considerando se envolve quatro outros executivos da companhia no processo.

Se Lee for preso, espera-se que a unidade de eletrônicos da companhia seja mantida praticamente intacta, exceto por alguns planos estratégicos que o VP pode ter em mente, é claro. No entanto, estruturalmente, a Samsung pretende manter tudo nos trilhos, inclusive quanto a vendas e novos lançamentos.

A investigação

A Samsung é acusada de desviar 37 milhões de dólares para organizações e negócios apoiados pela presidente coreana, em troca de apoio a uma fusão entre duas subsidiárias, que aconteceu em 2015. Além disso, a empresa também teria financiado uma carreira no hipismo para a filha de Choi, que pouco depois foi presa na Dinamarca a pedido da Coreia do Sul.

Se o alvo de toda a operação da justiça é a presidente Choi, parece mais que essencial citar a Samsung como participante do esquema de corrupção. Outras empresas coreanas como LG e Hyundai estão sendo investigadas.

Fonte: Reuters