Governo dos EUA pode banir mais cinco empresas chinesas nas próximas semanas

Por Rafael Rodrigues da Silva | 22 de Maio de 2019 às 21h40
US Senate
Tudo sobre

Huawei

Saiba tudo sobre Huawei

Ver mais

Depois de colocar a Huawei na “lista negra” e impedir que a companhia de telefonia chinesa utilize qualquer tecnologia de empresas dos Estados Unidos, o governo do país está pensando em fazer o mesmo com outras cinco empresas chinesas de monitoramento.

De acordo com fontes de dentro do governo, já há conversas para colocar na mesma lista da Huawei a Megvii, a Zhejiang Dahua Technology Co., a Hangzhou Jikvision Digital Technology Co., a Meiya Pico e a Iflytek Co. Ltd. — todas empresas especializadas em sistemas de vigilância e monitoramento por vídeo e que utilizam tecnologia desenvolvida nos Estados Unidos em seus sistemas.

De acordo com as fontes de dentro do governo, a administração Trump estaria preocupada com o fato de essa tecnologia estar sendo usada pelo governo chinês para perseguir e reprimir a população Uighur, uma minoria muçulmana que vive no oeste do país. Ainda que a preocupação por um possível uso de tecnologia para violar direitos humanos seja algo válido para qualquer governo do mundo, essa preocupação com uma minoria muçulmana soa um tanto irônica nessa administração que, desde março de 2017, proíbe a entrada no país de qualquer pessoa vinda de sete países de maioria muçulmana.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A grande preocupação do mercado é que essa decisão possa escalar ainda mais a guerra fiscal entre os Estados Unidos e a China, e que isso possa transformá-la em uma nova Guerra Fria entre as duas maiores economias do mundo, o que criaria uma ruptura em um mercado econômico que está muito mais globalizado do que era durante as três décadas de duração da Guerra Fria original entre Estados Unidos e a antiga União Soviética.

Atualmente, a Hikvision é a líder mundial do mercado de vigilância em vídeo global, e possui um sistema de monitoramento com tecnologia de reconhecimento facial que é um dos mais usados por sistemas de segurança no mundo todo, o que fez com que o valor de mercado da empresa chegasse a US$ 32 bilhões em 2017 — e a expectativa é de que ela cresça pelo menos 16% a cada ano até 2023. Isso faz com que esta seja uma das empresas chinesas com o maior número de ações compradas por investidores ocidentais, e a colocação dela na “lista negra” dos Estados Unidos irá abalar bastante o mercado financeiro mundial.

Até o momento, apenas a Hikvision se pronunciou sobre o possível banimento, afirmando que espera que a companhia seja tratada de forma justa pelo governo dos EUA. Todas as outras empresas envolvidas nos rumores se negaram a comentar sobre o assunto.

A guerra fiscal de Trump com a China tem raízes desde praticamente o início da administração, com membros do governo acusando a Huawei de utilizar seus equipamentos para espionar as comunicações do país para o governo chinês e de violar as sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos sobre o Irã. No fim do ano passado, o Canadá prendeu a filha do presidente da Huawei a mando dos Estados Unidos, e está no processo de extraditá-la para o país, onde ela seria presa acusada de 23 violações das leis estadunidenses.

Fonte: Bloomberg

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.