Código fonte do Google ultrapassa a marca de 2 bilhões de linhas

Por Redação | 18 de Setembro de 2015 às 10h42

O Google não é conhecido por alcunhas como Gigante da Web ou ainda Gigante das Buscas à toa. Em uma apresentação durante o @Scale Conference, a gerente de engenharia da empresa Rachel Potvin revelou que, juntos, os produtos do Google reúnem mais de 2 bilhões de linhas de código.

Conforme destaca o Wired, o número é incrível e significa que, hoje, a quantidade de linhas de código que fazem o Google funcionar é mais de 40 vezes maior do que tinha o Windows XP, por exemplo (45 milhões de linhas). Além disso, é 100 vezes maior do que o Facebook (20 milhões de linhas).

Código que controla todos os serviços

Pode não parecer muita coisa, mas lembre-se que tudo isso está dentro de um único repositório, como se fosse, de fato, uma coisa só. Então, é o mesmo código que dá vida a serviços como Google Drive, Google+, Google Maps, Google Docs, YouTube, Gmail e todos os demais produtos da companhia.

Abaixo, você acompanha a exposição de Rachel Potvin na íntegra (em inglês):

Colaboração massiva

O código fonte do Google está armazenado dentro do Piper, sistema de controle de versão criado pela própria companhia a fim de reunir os códigos e a colaboração de cerca de 25 mil desenvolvedores. Este sistema se espalha por 10 data centers diferentes e, além disso, conta com recursos inteligentes. Nele, os desenvolvedores podem combinar códigos de diferentes projetos já iniciados quando vão começar algo novo. O resultado disso é mais liberdade para criar e mais chances de tudo funcionar bem.

“Quando começa um novo projeto, você já tem um bom número de bibliotecas disponíveis”, conta Potvin à Wired. “Quase tudo já foi feito”, complementa. Em suma, é uma lógica open source aplicada dentro de uma única empresa, que combina o trabalho de milhares de pessoas para impulsionar seus projetos.

Além disso, cada alteração simples pode ser reproduzida automaticamente em todos os serviços nos quais ela é utilizada. Assim, o Piper permite ao Google realizar alterações amplas em todos os seus serviços de modo prático e eficaz.

Google + Facebook

Potvin acredita que o Piper abriga a maior base de dados de todo o planeta na atualidade e destaca os esforços conjuntos entre Google e Facebook para a criação de uma ferramenta de controle de versionamento em código aberto.

Ela deve ser baseada no Mercurial e ser oferecido para qualquer um que queira lidar com uma grande quantidade de dados e projetos inter-relacionados — atualmente, as 20 milhões de linhas no código fonte do Facebook funcionam de forma semelhante ao Piper, do Google.

Fonte: Wired

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.