Apesar de recursos, BNDES diz que faltam novos projetos de IoT

Por Redação | 21 de Junho de 2017 às 15h19

É comum ouvir reclamações de empresas nacionais sobre a falta de incentivos para criação da Internet das Coisas (IoT). No entanto, a chefe do departamento de TIC no BNDES, Irecê Fraga Kauss Loureiro, acredita que a história é outra.

A executiva entende que muitas companhias estão esperando pelo Plano Nacional de Internet das Coisas para começar a investir. No entanto, acredita que elas não precisam esperar pelo documento para apresentar seus projetos e buscar investimentos junto ao banco de desenvolvimento.

“Os recursos estão lá, mas sentimos falta de novos projetos. Mesmo com o cenário macroeconômico, não tem restrições de caixa, uma vez que há dinheiro para o BNDES investir em inovação. E para o banco, IoT é inovação”, disse Loureiro. “Nós só pedimos que os projetos sejam maduros e tenham começo, meio e fim”.

A executiva ressalta que a taxa aplicada pelo BNDES é a menor do mercado (10% ao ano), sendo que a instituição entra com 80% do valor no projeto. Em média, as companhias pagam o empréstimo em até seis anos. “Em um banco privado, eles vão pagar no mínimo 20% ao ano”, afirma a especialista. Ainda assim, em sua própria visão, ela crê que os investimentos do governo ainda estão aquém do esperado, mas existem.

Plano de IoT

Sobre o Plano Nacional de IoT, Loureiro afirma que o projeto está em fase de preparo e serão selecionados de três a cinco setores para o Brasil priorizar em Internet das Coisas e seus respectivos planos de ação. Depois disso, as indústrias, esferas do governo e demais participantes serão convidados para discutir o plano.

“Nós, como instrumento de Estado, temos que pensar sobre a implantação e o engajamento de IoT no Brasil”, concluiu a chefe de departamento.

Fonte: MobileTime

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.