Amazon ameaça demitir funcionários que criticarem suas políticas ambientais

Por Felipe Ribeiro | 02 de Janeiro de 2020 às 22h00
shutterstock
Tudo sobre

Amazon

Saiba tudo sobre Amazon

Ver mais

Em um comunicado divulgado no Twitter nesta quinta-feira (2), pessoas de um grupo chamado Amazon Employees For Climate Justice, que reúne funcionários da Amazon que são contra as políticas ambientais da empresa, revelaram que a gigante do varejo estaria ameaçando trabalhadores que são contra as atitudes da companhia nessa seara.

Segundo este comunicado, dois funcionários foram informados por representantes legais e do departamento de recursos humanos da Amazon de que suas funções seriam encerradas se continuassem a falar sobre os negócios da Amazon. Maren Costa, designer de experiência do usuário, foi um dos funcionários que a empresa ameaçou demitir.

De acordo com o The Washington Post, primeiro veículo a postar sobre o assunto, a Amazon também ameaçou descontinuar Jamie Kowalski, um engenheiro de desenvolvimento de software. Kowalski e Costa disseram que receberam cartas de um dos advogados da Amazon depois de se manifestarem publicamente em outubro.

Ainda de acordo com este documento postado no Twitter, o grupo de funcionários afirmou que a Amazon mudou sua política em setembro e agora "exige que os funcionários busquem aprovação prévia para falar sobre a Amazon em qualquer fórum público enquanto identificado como funcionário".

O que diz a Amazon?

No entanto, Jaci Anderson, porta-voz da Amazon, disse que a política de comunicação da empresa não é nova. Em setembro, a companhia até tentou facilitar essa comunicação com os funcionários adicionando um formulário em um site interno onde eles poderiam obter aprovação para eventuais manifestações ou reclamações - antes disso, eles precisavam obter aprovação direta de um vice-presidente sênior. Ela acrescentou, ainda, que os funcionários são "incentivados a trabalhar em suas equipes" e podem sugerir "melhorias na forma como operamos por meio desses canais internos".

Os funcionários da Amazon têm pressionado cada vez mais a empresa para que ela mude sua maneira de lidar com os impactos ambientais. Na reunião anual de acionistas, em maio, milhares de empregados enviaram uma proposta ao CEO Jeff Bezos, para que ele desenvolvesse um plano abrangente de mudança nas políticas climáticas e reduzisse sua emissão de carbono.

Bezos não deu ouvidos em um primeiro momento, mas, depois, acabou anunciando em setembro de 2019 que a Amazon pretende fazer uso de energia renovável por completo até 2030 e ter emissões zero de carbono até 2040. Os planos foram amplamente vistos como uma resposta às demandas dos funcionários, mesmo que ele não tenha seguido os pedidos.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.