Sony vende divisão de computadores VAIO e demite 5.000 funcionários

Por Redação | 06 de Fevereiro de 2014 às 12h06
photo_camera Divulgação

Após alguns rumores publicados na imprensa internacional, a Sony confirmou nesta quinta-feira (6) que vai mesmo vender sua divisão de computadores pessoais da linha VAIO. A medida faz parte de uma grande reestruturação interna realizada pela companhia, que também vai demitir 5.000 funcionários e realocar os negócios de sua divisão de TVs.

A divisão de PCs VAIO da Sony será vendida para a Japan Industrial Partners (JIP), em um acordo que deve ser concluído até o final de março e que não teve valores de negociações revelados. Segundo um comunicado oficial da Sony, a divisão foi vendida devido a perdas no segmento de negócios eletrônicos e nas "drásticas mudanças" em toda a indústria de computadores. Além disso, a companhia afirma que voltará seus esforços ao desenvolvimento e melhoria dos dispositivos móveis, como tablets e smartphones.

As máquinas VAIO continuarão a ser vendidas até o final de junho, quando a linha de produção for descontinuada globalmente da Sony. A empresa revela que, mesmo após essa data, ainda vai oferecer suporte aos usuários que comprarem novos PCs. A partir daí, já sob o comando da JIP, a linha VAIO será comercializada apenas em território japonês, mas existe a possibilidade de expandir o negócio para outros locais do globo.

As demissões vão afetar 1.500 funcionários no Japão e 3.500 que trabalham em unidades da empresa em outros países, sendo que alguns desses profissionais poderão ser transferidos para outras corporações – cerca de 250 a 300 empregados serão realocados para a Japan Industrial Partners. A Sony acredita que a estratégia pode cortar custos em até um terço nos próximos 15 meses, antes de fechar seu próximo ano fiscal, em março de 2015.

Já a divisão de TVs será comandada por uma unidade subsidiária, separada da Sony, a partir de julho de 2014. O objetivo é reduzir os custos de manutenção e melhorar sua participação no setor. Para isso, a companhia continuará investindo em produtos high-end, principalmente nas tecnologias 2K e Ultra HD (4K) – a empresa domina 75% do mercado de TVs com ultrarresolução vendidas no Japão. Outro detalhe é que a Sony pretende ampliar sua participação em países emergentes adaptando seus produtos às necessidades locais.

O lucro líquido da Sony no terceiro trimestre do ano fiscal, referente ao período de outubro a dezembro do ano passado, foi de 27 bilhões de ienes (US$ 266 milhões). Boa parte do lucro foi graças às vendas de smartphones e do console de nova geração PlayStation 4, que vendeu mais de 4,2 milhões de unidades até o final de 2013 e mais de 9 milhões de jogos nas primeiras seis semanas após o seu lançamento.

A empresa japonesa também anunciou um corte de projeções para o ano fiscal, antecipando perdas de 110 bilhões de ienes (US$ 1,1 bilhão) para o ano inteiro, que se encerrará em março (a estimativa anterior era de um lucro de 30 bilhões de ienes). A Sony espera a alocação de aproximadamente mais 20 bilhões de ienes para reestruturar as despesas no ano fiscal de 2013 e mais 70 bilhões de ienes para reestruturar as despesas no ano fiscal de 2014.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.