Gastos com TI no Brasil devem aumentar em 2014

Por Redação | 06 de Novembro de 2013 às 14h27

Os gastos no setor de TI no Brasil devem chegar a US$ 129,7 bilhões em 2014, de acordo com uma pesquisa feita pelo Gartner. É um aumento de 3,6% em relação a 2013, em que os gastos foram projetados em US$ 125,2 bilhões. As previsões foram apresentadas durante o simpósio Gartner/ITxpo 2013, que acontece de 04 a 07 de novembro, no World Trade Center, em São Paulo.

A maior parcela do montante será destinada aos serviços de telecomunicações, cujos gastos devem atingir US$ 78 bilhões em 2014, resultando em uma pequena alta de 1,8% em comparação a 2013. Logo em seguida estão os investimentos em dispositivos móveis, que devem totalizar US$ 22,4 bilhões em 2014, um aumento de 1,7% em relação a 2013.

“A expansão do consumidor é fundamental para o crescimento sustentado dos gastos com TI no Brasil", diz Val Sribar, vice-presidente do Gartner.

Os analistas do Gartner afirmam que este é o início de um novo tempo no qual os orçamentos de outros departamentos de empresas incluem gastos com TI. Esse fenômeno está resultando no início de uma era: a Economia Industrial Digital.

“A Economia Industrial Digital será construída sobre as fundações de um Nexo de Forças (que inclui confluência e integração de nuvem, colaboração social, informação e mobilidade) e da Internet das Coisas, combinando o mundo físico e o virtual. A digitalização expõe cada peça de sua empresa e suas operações a estas forças. É como você chega aos clientes, como você executa sua planta física e como gera receita ou presta serviços. Empresas que fazem isso hoje estão se destacando e vão liderar coletivamente a nova Economia Industrial Digital”, diz Scribar.

O impacto econômico da ‘Internet das coisas’

Em 2009, havia 2,5 bilhões de dispositivos conectados com endereços de IP únicos, e a maioria era composta por dispositivos pessoais, como celulares e PCs. Em 2020, haverá até 30 bilhões dispositivos conectados com endereços de IP únicos – e a maioria não será de dispositivos pessoais, mas sim de serviços e produtos.

Isto cria uma nova economia. De fato, o Gartner prevê que o valor econômico total que será acrescentado à Internet das Coisas chegará a US$ 1,9 trilhões em 2020, beneficiando uma ampla gama de indústrias, tais como de saúde, varejo e transporte.

"A Era Digital vai mudar o mercado de TI por meio da Internet das Coisas. Nos setores de telecomunicações e de tecnologia, a receita associada à Internet das Coisas vai exceder US$ 309 mil por ano, até 2020” completa Scribar.

Dispositivos móveis dominaram o mundo da tecnologia. Até 2017, novas categorias de dispositivos móveis (celulares, tablets e PCs) irão representar mais de 80% dos gastos com TI. O Gartner prevê que, até 2017, os tablets serão a opção de compra de quase metade da população ao escolher o primeiro computador.

Scribar finaliza dizendo que a plataforma móvel é o destino de todas as aplicações.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.