Atividades lúdicas e o uso da tecnologia em sala de aula

Por Colaborador externo | 23 de Maio de 2013 às 07h00

Por Ana Paula Barros de Paiva*

Da Educação Infantil ao Ensino Médio existe uma grande preocupação de proporcionar ao aluno atividades atrativas, que, aliadas ao conteúdo pedagógico de cada disciplina, auxiliem efetivamente no aprendizado. Os alunos de hoje aprendem com muita facilidade e rapidez, mas cansam-se facilmente das práticas repetitivas do ensino cotidiano. Num mundo em constante transformação, eles anseiam sempre por mais e mais novidades.

Por isso, com frequência o professor é obrigado a elaborar diferentes tipos de aulas da mesma matéria para conseguir atingir uma ampla e diversificada gama de alunos. Os educadores sabem que precisam dispor sempre de novos recursos que o auxiliem a explorar as atividades em grupo e, desta maneira, diminuir a desatenção e a indisciplina na sala de aula.

Além disso, cada aluno tem necessidades e dificuldades diferentes e, por isso, jogos e atividades lúdicas que integrem conteúdos podem ser apoios importantes para o professor no desenvolvimento e planejamento das aulas.

Cabe ao professor buscar esses recursos de apoio, como o uso do laboratório de informática da escola. O próprio professor pode criar uma primeira atividade, que exigirá tempo para sua construção, mas que, posteriormente, poderá ser alterada de acordo com os próximos conteúdos. No caso de o professor não ter muita habilidade com a tecnologia, ele pode solicitar ajuda de um aluno, que, certamente, se sentirá muito importante em realizar a tarefa.

Recursos tecnológicos são naturalmente muito atrativos aos jovens. Eles lhes permitem criar atividades em planilhas eletrônicas, multimídia, fazer edição de filmes e imagens. Essas atividades estimulam a participação dos alunos no processo de construção do próprio conhecimento. Mas é preciso fazer uma análise prévia da turma, de modo que os objetivos propostos sejam alcançados. A atividade lúdica, independente do recurso ou material utilizado, só trará os resultados esperados se for bem direcionada e planejada.

Até na Educação Infantil já se provou que os jogos e as brincadeiras – muitas delas realizadas com o apoio da tecnologia – ajudam no desenvolvimento integral da criança. E o uso de recursos tecnológicos vem ganhando cada vez mais espaço nas escolas. Por isso, é importante disponibilizar este contato do aluno com a tecnologia desde cedo, mantendo-o ao longo de sua formação. Qualquer disciplina, matéria ou conteúdo pode ter atividades preparadas, construídas e realizadas com recursos tecnológicos.

Se os educadores souberem combinar as atividades lúdicas com os recursos tecnológicos, as aulas não se tornarão rotineiras e maçantes, mas despertarão nos alunos o interesse pelo conteúdo das matérias, mesmo daquelas consideradas mais “antipáticas”, facilitando enormemente o aprendizado da garotada e desenvolvendo nela o gosto pelos estudos.

*Ana Paula Barros de Paiva é Orientadora Educacional na área de Informática Educacional na empresa Planeta Educação (www.planetaeducacao.com.br); Graduada em Pedagogia com ênfase em projetos educativos, com larga experiência no ensino e desenvolvimento da Educação Infantil em escolas públicas e privadas.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.