5 dicas para reduzir a rotatividade nas empresas de TI

Por Colaborador externo | 12.06.2015 às 11:19

Por Polianna Lopes*

O mercado da Tecnologia da Informação está sob constante transformação, e não são apenas as novas tecnologias que movimentam o setor. As novas gerações de profissionais também conduzem grandes e significativas mudanças no segmento de TI e, atualmente, reter esses talentos tem sido um dos maiores desafios para as empresas.

Manter os funcionários motivados com o trabalho e satisfeitos com as políticas corporativas tornou-se um exercício diário para evitar o “turnover”, que se refere à medição da rotatividade, isto é, a entrada e saída de colaboradores de uma organização. Quanto maior for este índice, menor será o nível de satisfação dos colaboradores e maiores serão os impactos nos resultados e na produtividade.

No passado, os funcionários entravam jovens nas empresas e permaneciam até a aposentadoria. Esse processo não acontece mais. Nascidos entre a década de 80 e 90, os jovens da geração Y possuem um perfil oposto em relação aos profissionais mais experientes. Ligados à tecnologia, ambiciosos e cheios de autoconfiança, eles são capazes de realizar várias tarefas ao mesmo tempo, criam e desfazem laços com a mesma velocidade que entram e saem das companhias. Autoconfiança é a palavra-chave para eles.

De acordo com censo atual produzido pela Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro Nacional), o nível de rotatividade de empresa de TI no Brasil, foi superior à média da América Latina. Um dos motivos para esse número deve-se à atual crise econômica e a falta de mão de obra especializada.

Ainda segundo o censo de 2014, cada empresa brasileira de TI, em média, admitiu 33 e demitiu 31 profissionais ao longo do ano. Em outros 18 países da região, cada empresa contratou 30 e demitiu 21 funcionários ao decorrer do ano passado.

Apresento 5 passos abaixo que considero fundamentais para que essas e outras situações de baixa produtividade e alto turnover não aconteçam:

  1. Faça ouvidoria: Saber o que os profissionais pensam sobre os colegas de trabalho e clima organizacional pode ser uma estratégia para identificar quais são os pontos positivos e que devem ser mantidos, e os negativos, aqueles que precisam ser modificados para melhorar o nível de satisfação de funcionários. Mesmo em caso de demissão, procure identificar quais foram os problemas que levaram o profissional a se desligar da corporação, este será um dos caminhos para buscar uma solução para o problema.
  2. Contrate gente certa para o lugar certo: Reserve um tempo para selecionar os profissionais. Esse processo demanda tempo, para isso é importante realiza-lo por etapas, com calma. Mais importante do que encontrar um profissional técnico, é encontrar um profissional que se adapte à cultura da empresa.
  3. Remuneração e bonificação por desempenho: Demonstrar ao funcionário como o trabalho realizado por ele ajudou a alcançar os resultados é uma forma de mostrar reconhecimento. Para isso, ofereça bonificação aos profissionais que fizeram por merecer e contribuíram para alavancar as metas da empresa.
  4. Invista em capacitação: Capacite os colaboradores. Invista em palestras, workshops e cursos específicos para determinada área. Mostre para o funcionário a importância do conhecimento no enriquecimento do currículo e consequentemente visão de mundo, para a vida.
  5. Clima organizacional: O bom relacionamento entre funcionários é fundamental para aumentar a produtividade. Invista em eventos que una diferentes setores da empresa, possibilitando a interação entre eles, por meio de um clima descontraído, fora do ambiente corporativo.

*Polianna Lopes é Diretora Adjunta de Pessoas e Marketing na Microcity.