Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Pequim registrou o mês de dezembro mais frio nos últimos 72 anos

Por| Editado por Luciana Zaramela | 05 de Janeiro de 2024 às 17h35

Link copiado!

Albert Canite/Unsplash
Albert Canite/Unsplash

O ano de 2023 foi considerado o mais quente na história recente do planeta. Só que isso nem de longe significa que todas as regiões estiveram igualmente quentes e se mantiveram assim ao longo das quatro estações. É o que o prova o caso da China, já que Pequim enfrentou o inverno mais rigoroso no mês de dezembro desde 1951, quando as medições começaram.

Por muitos dias ao longo do mês passado, as temperaturas em Pequim estiveram abaixo dos -10 ºC. Por causa das massas de ar fria que se deslocavam do Ártico para o Sul, foram registradas também fortes nevascas. Em algumas áreas do Norte e do Nordeste da China, os termômetros chegaram a -40 ºC.

O curioso é que, no mesmo ano, Pequim também bateu recordes em relação ao calor. Por causa das ondas de calor, a capital da China chegou a registrar temperaturas de 40 ºC por dois dias consecutivos em junho, o que também foi inédito por lá.

Continua após a publicidade

Frio extremo na China

Segundo dados do Observatório do Clima da China, Pequim registrou mais de 300 horas em que as temperaturas permaneceram abaixo de zero — isso equivale a 12 dias e meio com temperaturas congelantes. É o tempo mais longo já registrado no mês de dezembro desde que os registros foram iniciados, há 72 anos. Além disso, foram nove dias seguidos com a temperatura abaixo de -10 ºC.

Em consequência do frio extremo, inúmeras atividades foram suspensas na China. Por exemplo, os serviços de transporte e viagens foram afetados por causa das nevascas. O fornecimento de energia térmica também foi impactado. Só que, no começo deste ano na China, as temperaturas subiram e, em muitos locais, não era mais negativa.

Continua após a publicidade

Onda de frio no mundo

Nas últimas semanas, o frio não se concentrou apenas na China. Na verdade, o Norte do Japão registrou intensas nevascas e alertas de risco por causa da neve foram emitidos. Nas províncias de Gifu e Hokkaido, o acúmulo de neve chegou a 1 metro.

Desde o começo deste ano, a Europa tem enfrentando o frio severo, especialmente nos países nórdicos. Na quarta-feira (3), os termômetros da Suécia registraram uma temperatura congelante de -43,6 °C. Esta é a temperatura mais fria já registrada no país durante o mês de janeiro desde 1999. Por lá, o frio ainda não terminou.

Fonte: The Guardian, BBC e Reuters