Fóssil de embrião encontrado na Groenlândia pode revelar a origem dos animais

Por Natalie Rosa | 09 de Novembro de 2020 às 19h00
Sebastian Willman

A origem dos animais no planeta Terra pode ter uma resposta, de acordo com pesquisadores da Universidade de Uppsala, na Dinamarca. A equipe de cientistas encontrou na Groenlândia microfósseis semelhantes a embriões, de 570 milhões de anos atrás, mostrando que organismos deste tipo foram dispersados por todo o mundo.

Sebastian Willman, principal autor do estudo e paleontólogo da universidade, conta que a descoberta aprimora o propósito do entendimento deste período na história da Terra, quando os primeiros animais começaram a aparecer. O surgimento dos animais está datado há cerca de 540 milhões de anos, como consequência de um evento chamado Explosão Cambriana, e são diversas as criaturas deste período encontradas já, muitas delas possuindo conchas.

Formação onde foram encontrados os microfósseis (Imagem: Reprodução/John Peel) 

Acredita-se, no entanto, que os primeiros animais evoluíram ainda mais cedo, o que coloca em questão também outros pontos de vista da comunidade de pesquisas sobre o assunto, sobre se os fósseis datados da era pré-cambriana são, de fato, classificáveis como animais.

A descoberta

Em pedras que possuem entre 570 a 560 milhões de anos atrás, cientistas da Universidade de Copenhagen encontraram microfósseis que aparentam ser ovos e embriões de animais que estão tão preservados que possibilitam o estudo de suas células individuais e estruturas intracelulares.

Fóssil do embrião encontrado na Groenlândia (Imagem: Reprodução/Sebastian Willman)

Esses organismos viveram nas costas mais rasas de mares em torno da Groenlândia durante o período Ediacarano, entre 630 milhões e 542 milhões de anos atrás, fazendo os pesquisadores acreditarem que a complexidade da vida naquele período foi maior do que se sabe até agora.

No Sul da China, na Formação Doushantuo, de quase 600 milhões de anos atrás, foram feitas descobertas semelhantes há 30 anos e, mesmo sendo mais novos, os fósseis da Groenlândia são praticamente idênticos. Com a novidade, agora os cientistas podem dizer que esses organismos se espalharam por todo mundo.

Fonte: EurekAlert

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.