Céu vermelho: o que explica o cenário apocalíptico-alienígena nos EUA?

Por Daniele Cavalcante | 10 de Setembro de 2020 às 18h00
Noah Berger/Associated Press

Moradores do litoral oeste dos Estados Unidos, em especial lugares como a baía de São Francisco e a Califórnia, tiveram um dia bastante incomum na última quarta-feira (9). É que, logo após o amanhecer, ninguém viu a luz solar do jeito normal de sempre. Em vez disso, o céu estava alaranjado, até mesmo em tons de vermelho em algumas regiões. Não só isso, a própria luz tinha uma coloração que emprestou às cidades um aspecto surreal, comparado por muitos com imagens de outros mundos, e até mesmo com obras distópicas da ficção científica.

Fumaça pelos estados do litoral oeste dos EUA

Mesmo durante o dia, carros tiveram que manter os faróis acesos. No norte da Califórnia, nuvens gigantes de fumaça se espalharam pela atmosfera, encobrindo o Sol. A fumaça é mais um fruto do chamado Bear Fire, parte de uma série de incêndios florestais que acontecem por lá desde do dia 17 de agosto. A maioria foi apagada, exceto este que se propaga com o vento desde o dia 8 de setembro. Agora, os estados da costa do Pacífico precisam lidar com um constante estado de alerta e com níveis perigosos de má qualidade do ar.

De acordo com Craig Shoemaker, meteorologista do Serviço Meteorológico Nacional em Sacramento, o volume de fumaça do Bear Fire subiu durante a noite de quarta-feira para 40.000 pés, altitude onde o ar é gélido. Isso resulta em uma “enorme nuvem de cinzas e gelo”, disse ele. As regiões de Washington, Oregon, Califórnia, Idaho, Nevada, Arizona e Utah estão ainda em risco de sofrer com mais uma onda de incêndios, de acordo com o National Weather Service.

O vídeo abaixo mostra a extensão da fumaça e algumas das regiões afetadas.

Em Oregon, foi decretado estado de emergência de incêndio florestal. Vários incêndios florestais se espalharam em áreas a leste de Salem, capital de Oregon, além de Eugene, o que resultou no preparo para vários níveis de evacuação em algumas comunidades do condado de Marion (da qual Salem faz parte). A Califórnia permanece em bandeira vermelha e o governador de Washington, Jay Inslee, disse que mais hectares foram queimados no de 7 de setembro "do que em 12 das últimas temporadas inteiras de incêndios no estado de Washington".

Por que o céu ficou vermelho nos EUA?

Imagens da última quarta-feira viralizaram rapidamente nas redes sociais, mostrando as cidades com ruas desertas e luz laranja ou vermelha, o que muitos compararam com o filme Blade Runner e séries como Stranger Things. O cenário é tão surreal que, inicialmente, muitas pessoas de outros países, ainda sem a total compreensão dos fatos, julgaram que as fotografias contavam com algum filtro de cor para dramatizar o evento.

Havia, sim, um filtro de cor, mas não nas câmeras fotográficas. O filtro acontece quando a luz solar tenta passar pela espessa camada de fumaça que cobre as cidades do oeste estadunidense. De acordo com a explicação da NASA, “as partículas de fumaça dos incêndios permitem que as cores de comprimento de onda mais longo da luz solar, como vermelho e laranja, passem, enquanto bloqueiam os comprimentos de onda mais curtos de amarelo, azul e verde”.

Para entender melhor o fenômeno, basta lembrar que todas as cores que enxergamos no mundo são compostas pelas cores presentes no espectro visível da luz — as chamadas “cores puras”. Quando usamos um filtro azul, por exemplo, todas as ondas de cores visíveis são bloqueadas, exceto as azuis. No caso da fumaça, ela bloqueia todas as cores da luz solar, exceto o vermelho e laranja. Como essas são as únicas cores que passam pelo gigantesco filtro natural que paira no céu do litoral dos EUA, as pessoas só podem enxergar as coisas nessas tonalidades.

Um fenômeno parecido acontece durante o nascer e o pôr-do-sol. Isso porque, quando o Sol está perto do horizonte, sua luz percorre um trajeto diferente na atmosfera da Terra, e passa por alguns filtros também naturais, mas, dessa vez, não causados por incêndios.

Nas imagens abaixo, podemos ter uma noção de como as nuvens de fumaça estão sobrevoando as cidades, filtrando a luz solar.

Confira mais algumas imagens que parecem cenas de Hollywood.

Terra ou Vênus?

As fotos e os vídeos também podem ser comparados com mundos alienígenas como Marte ou Titã, a segunda maior lua do Sistema Solar, que fica na órbita de Saturno. Essa lua tem uma atmosfera composta principalmente de nitrogênio, muito densa, com uma pressão superficial 50% maior que o da Terra. Provavelmente seria bem difícil enxergar todo o espectro de cores visíveis se estivéssemos em Titã.

Vênus também possui uma atmosfera muito densa, que retém o calor do Sol, resultando em temperaturas superiores a 470 graus Celsius, enquanto a parte superior das nuvens gira ao redor de todo o planeta a cada quatro dias terrestres. Se estivéssemos em Vênus, veríamos o céu sempre nublado.

Em Marte, também veríamos tudo avermelhado, mas por motivos bem diferentes. No Planeta Vermelho, a atmosfera é bem mais fina que dos mundos citados acima, e mais fina que a da própria Terra. Mas há uma grande quantidade de poeira que têm o hábito de passear pela atmosfera pegando carona em grandes tornados. Essa poeira tende a absorver a luz azul, o que dá ao céu a coloração vermelha.

Fonte: CBS News, The New York Time, NASAUniverse Today

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.