Continuação de Bird Box será focada em Malorie e nas criaturas

Por Wagner Wakka | 21 de Março de 2019 às 12h57
Netflix
Tudo sobre

Netflix

Saiba tudo sobre Netflix

Ver mais

Um dos sucessos da Netflix do final do ano passado, Bird Box já tem uma continuação engatilhada, ao menos em sua versão de livro. Com isso, vária pessoas já pensam em teorias para o grande gancho em que o longa termina (só para dizer o mínimo e evitar spoliers). O site Esquire entrevistou Josh Malerman, autor do livro que deu vida ao filme, lançado aqui no Brasil como Caixa de Pássaros.

O novo livro deve chegar em outubro com o título Malorie. Com o mesmo nome da personagem, de cara, já mostra o foco maior no que será da personagem vivida na Netflix por Sandra Bullock.

“Desde que eu comecei a escrever esta continuação, eu tenho sido perguntado sobre o que acontece com o Garoto e a Garota. Mas por mais que eu me preocupe com o Garoto e a Garota, essa não é a história deles. Caixa de Pássaros é a história de Malorie e eu procurei pensar mais sobre ela”, explicou o autor.

Questionado sobre se o novo livro vai falar o que realmente são as criaturas, ele disse que não pode afirmar nada. Contudo, soltou uma dica: “O que eu posso dizer é: nós vamos saber mais tanto sobre a Malorie quanto sobre as criaturas”.

Na entrevista, o escritor também falou sobre personagens que não estavam na versão original, mas que foram colocados no longa. Para ele, mudanças são bem-vindas, desde que se mantenha o espírito do original.

“Eu sou sempre muito protetor com o conceito: a ideia original. Para mim, Malorie, Garoto, Garota, Tom, Don e Gary. Este meio que é o elenco do livro. E as vendas e as criaturas e o rio e a casa. Todos estes elementos estão no filme. Qualquer derivação disso me faz sentir que as regras ainda estão sendo seguidas”, disse Malerman ao site.

O veículo também perguntou sobre a mudança de cor dos olhos dos personagens quando eles veem as criaturas. Segundo o autor, aquela é apenas uma indicação visual do cinema para mostrar que houve uma mudança. A ideia era passar a impressão de que algo no âmago dos personagens estava diferente, para isso ele usa a metáfora dos olhos como janela da alma.

Apesar da continuação do romance, ainda não há informações sobre se a Netflix vai fazer um novo longa baseado no segundo livro.

Fonte: Esquire

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.