Riot Games vai pagar US$ 10 milhões em acordo sobre discriminação de gênero

Por Wagner Wakka | 04 de Dezembro de 2019 às 08h40

A Riot Games vai pagar US$ 10 milhões em acordo por acusações de discriminação de gênero, assédio sexual e retaliação contra mulheres na empresa. A empresa já havia anunciado em agosto que tinha assinado uma conciliação pelo processo conjunto, mas os detalhes da negociação não haviam sido revelados. 

Nesta terça (3), o jornal Los Angeles Times informou que perto de mil funcionárias e contratadas externas da Riot vão receber parte dos US$ 10 milhões. Ainda, as mulheres que trabalharam internamente também serão mais remuneradas que as freelancers. 

O caso começou a ganhar força após uma matéria de 2018 da Kotaku, que trazia entrevistas com 28 ex e atuais funcionárias da Riot com relatos sobre desigualdade de gênero, sexismo e até assédio sexual. Entre as diferenças estavam desigualdade de pagamento e promoções entre homens e mulheres na companhia. Em resposta a isso, mais de 150 funcionárias da empresa protestaram em frente ao prédio da Riot por igualdade salarial.

Além do pagamento, a publicadora de League of Legends disse estar mais comprometida com questões de inclusão de gênero na empresa. “Este acordo é mais um passo importante adiante e demonstra nosso comprometimento em cumprir com nossos valores e tornar a Riot um ambiente mais inclusivo para os melhore talentos da indústria”, respondeu a companhia em nota para o LA Times. 

Apesar disso, a Riot ainda não anunciou mudanças internas para evitar que o problema aconteça novamente.

Fonte: LA Times

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.