Personagem de criança de 7 anos é estuprada em Roblox; saiba como se proteger

Por Ares Saturno | 10 de Julho de 2018 às 00h05

Amber Petersen estava colocando sua filha de 7 anos para dormir enquanto a garota jogava Roblox, um jogo multiplayer online voltado para crianças. Foi quando a menina demonstrou confusão e perguntou para Amber o que estava acontecendo, mostrando-lhe a tela. A mãe, estarrecida, percebeu que o avatar da personagem da sua filha no jogo, cercado por dois avatares de outros jogadores, estava sendo estuprado.

A mãe chegou a postar capturas de tela do ataque quando veiculou o ocorrido nas mídias sociais, que não reproduziremos por serem imagens fortes, ainda que sejam personagens fictícios. "Pais/Cuidadores... não só peço que vocês excluam esse aplicativo, espero que vocês chequem todos os seus dispositivos e as configurações deles", disse a publicação no Facebook de Amber Petersen, que também afirmou que se sentiu "traumatizada e violada em diversos aspectos".

Em resposta, a Roblox Studio, responsável pelo título, disse estar ultrajada com o que aconteceu. A empresa disse que os jogadores responsáveis pelo estupro violaram as regras de conduta do game e foram permanentemente banidos da plataforma. "Nós temos tolerância zero para esse comportamento", disse um porta-voz. "Nosso trabalho para garantir uma plataforma segura está sempre evoluindo e continua sendo uma prioridade máxima para nós", completou.

Assista Agora: Descubra o jeito certo de criar verdadeiros times de alta-performance e ter a empresa inteira focada em uma única direção.

Roblox é classificado como um jogo para crianças com sete anos ou mais, segundo a Pan European Game Information, e como adequado para públicos com dez anos ou mais, segundo a Entertainment Software Rating Board, dos Estados Unidos. A média de idade dos jogadores é 14 anos, e o game tem cerca de 64 milhões de jogadores mensais.

Multyplayer online e crianças

O site UK Safer Internet Centre postou um guia para cuidadores de crianças com menos de 13 anos que jogam Roblox, dando dicas de como configurar o jogo para proteger os pequenos da maldade dos adultos:

1) Mantenha-se informado e tenha conversas regulares com seus filhos

É importante saber o que os pequenos estão jogando, já que o interesse dos cuidadores pode facilitar que as crianças recorram a eles quando encontrarem alguma situação estranha ou desconfortável ao jogar. Não deixe de saber onde as crianças jogam, com quem elas interagem e até mesmo jogue com elas, conhecendo as possibilidades das plataformas.

2) Ajude as crianças a entenderem a importância das informações pessoais

Ensinar as crianças a manterem seguras suas informações pessoais, como nome, endereço e onde estudam, é primordial. É bom instruir que a criançada conte a um adulto caso as conversas do chat saiam do tema do jogo e envolvam perguntas sobre a vida pessoal dos gamers, envio de links e imagens, ou mesmo pedidos de encontros offline entre jogadores.

3) Defina regras sobre o gasto de dinheiro em jogos

Gastar dinheiro real em jogos é um dos assuntos que os cuidadores devem abordar com suas crianças. Os adultos devem estabelecer limites que funcionem para o orçamento de suas famílias, e ensinar às crianças que é necessário pedir permissão antes de gastar dinheiro nos jogos.

4) Conheça e use as ferramentas de segurança disponíveis

Há diversas ferramentas voltadas para a proteção das crianças disponíveis nos jogos, inclusive em Roblox. Ensine às crianças a utilizar os mecanismos de bloqueio e de denúncia. Há também o controle parental, que permite que os adultos configurem senhas de segurança e façam restrições nas contas de seus filhos.

5) Encoraje as crianças a reportarem aos adultos qualquer situação estranha ou desconfortável

Lembre sempre às crianças que, caso elas se sintam desconfortáveis ou vejam conteúdos inapropriados, sejam abordadas no chat com comentários maldosos ou bullying, ou qualquer outra situação que traga sentimentos ruins, elas possam contar o que está ocorrendo para algum adulto que elas confiem e pedir ajuda.

Fonte: BBC, Safer Internet

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.