Apple aumenta limite para download na App Store usando dados celulares

Por Felipe Demartini | 31 de Maio de 2019 às 12h59
Reprodução
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

Caso você seja desses que desativa o Wi-Fi fora de casa e esquece de ligar quando volta, é melhor ficar esperto. A Apple aumentou nesta semana o limite para downloads usando a rede celular por meio da App Store agora para abraçar apps, jogos e outros conteúdos com até 200 MB. Isso, para os desatentos, pode significar um consumo maior e limites sendo atingidos bem mais rapidamente. Antes, esse teto era de 150 MB.

A mudança acompanha a evolução no tamanho das aplicações e também atende a pedidos antigos de desenvolvedores, que por anos se opõem aos limites arbitrários da App Store, que simplesmente não deixa que o usuário baixe softwares maiores que o máximo usando 4G, 3G ou outras conexões móveis.

Por outro lado, a Apple defende a medida afirmando que essa é uma ideia voltada justamente para evitar enganos. Ela sempre existiu e já foi ampliada outras vezes, sendo pensada para informar os usuários sobre a utilização dos dados móveis e o grande consumo que pode ser proporcionado pelos downloads, que acima do teto só podem ser realizados por meio de uma rede Wi-Fi.

Apple aumentou para 200 MB limite de download de arquivos por meio da App Store para redes móveis, em medida que tenta proteger usuários de planos com franquia (Imagem: Reprodução/9to5Mac)

Entretanto, a grande crítica tem a ver justamente com a arbitrariedade da coisa. Ninguém é contra alertar os usuários quanto a um eventual consumo demasiado dos dados móveis, mas os desenvolvedores acreditam que a App Store deveria emitir apenas um alerta aos utilizadores, sem os restringir completamente. Afinal de contas, a norma também impede que clientes de planos ilimitados baixem as aplicações.

A última mudança desse tipo aconteceu em setembro de 2017, quando a Apple aumentou o limite de 100 MB para 150 MB. É um ritmo de progresso lento, na visão dos desenvolvedores, na medida em que a resolução das telas aumenta e os aplicativos precisam de elementos gráficos mais pesados, que influenciam diretamente no tamanho do download. A norma, para eles, não acompanha esse desenvolvimento da indústria; mas, a bem da verdade, os limites de utilização impostos pelas operadoras de telefonia também não, constituindo o argumento usado pela Maçã para manter o teto ativo.

Fonte: 9to5Mac

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.