YouTube exclui canais de pais que abusavam dos filhos em “pegadinhas”

Por Felipe Demartini | 19 de Julho de 2018 às 10h20
Tudo sobre

YouTube

Após meses de inação e silêncio, o YouTube apagou os dois canais pertencentes à FamilyOFive, que exibia pais abusando física e psicologicamente dos filhos durante a realização de pegadinhas. No total, os dois espaços acumulavam mais de 750 mil inscritos e 175 milhões de visualizações, sendo um deles voltado às “brincadeiras” e outro para transmissões ao vivo e vídeos ligados ao universo dos videogames.

Por trás dos canais está o casal Mike e Heather Martin, cuja polêmica é ainda mais antiga. Em setembro do ano passado, eles perderam a custódia de dois de seus cinco filhos justamente devido aos abusos registrados no canal original, DaddyOFive, tirado do ar quando os dois foram indiciados pela justiça americana. Os pais foram acusados de negligência e condenados a cinco anos de liberdade condicional.

Em depoimento, Mike e Heather afirmam que as crianças estariam atuando e fingindo reações de raiva, dor e desespero durante os vídeos e que todo o conteúdo seria fingido. Entretanto, gravações que exibiam hematomas e outros ferimentos provaram o contrário para a justiça, bem como para a comunidade do YouTube, que há meses pressionava o site pela tomada de atitudes.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Na descrição dos espaços tirados do ar, a família afirmava que jamais criaria brincadeiras que ameaçassem a integridade física e psicológica dos filhos, que sempre estariam cientes sobre as gravações e, em alguns casos, até estariam exagerando suas reações para fins de entretenimento. As imagens em si, entretanto, mostram algo bem diferente.

Em um dos vídeos, por exemplo, um dos filhos é exibido gritando e chorando enquanto um de seus irmãos mais velhos, com incentivo do pai, quebra seu iPad recém-ganho em uma quina na parede. Em mais imagens, outra das crianças é vista levando boladas e, depois, é incentivada a mentir na escola, afirmando que os hematomas e machucados foram resultado de uma queda.

Neste ano, a família retornou ao site com os canais, agora deletados, que alegavam ser uma versão “atenuada” dos originais. Em comunicado, eles afirmam que se divertem criando vídeos para o YouTube, cuja realização segue padrões de comum acordo entre todos os envolvidos, após um processo de recuperação e restabelecimento após as condenações de setembro do ano passado.

Também em declaração oficial, o YouTube disse considerar inaceitável qualquer publicação que exponha crianças a perigo. A empresa citou possuir regras rígidas sobre segurança infantil e que tais normas são as mais importantes de seus termos de uso, justamente o motivo pelo qual os canais da FamilyOFive, agora, foram retirados do ar.

Uma pesquisa rápida no site, entretanto, ainda exibe milhares de vídeos relacionados ao caso. Eles incluem conteúdos com caráter de denúncia, com as imagens dos abusos inseridas em meio à edição, reuploads do conteúdo original da família e até mesmo mensagens de apoio a Mike e Heather criticando o YouTube pelo desaparecimento dos canais.

Fonte: WUSA9

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.