YouTube altera política de anúncios e faz receita de usuários cair

Por Redação | 31.03.2017 às 08:55

Uma das principais reclamações de quem vive das receitas do YouTube é ficar à mercê das políticas do Google. Embora muita gente sonhe em ser youtuber, a verdade é que quem controla as regras de monetização e o quanto cada conteúdo vale é a empresa dona do serviço. E ela pode, de uma hora para a outra, fazer uma mudança e afetar o rendimento de milhares de produtores de conteúdo uma só vez — como acabou de acontecer.

Tudo começou quando alguns anunciantes simplesmente cortaram a verba de publicidade ao descobrirem que suas campanhas estavam sendo exibidas em vídeos que divulgavam discursos de ódio e apoio ao terrorismo. O Google prometeu fazer mudanças para corrigir essa falha, mas quem acabou sendo afetado foi quem produz conteúdo. A empresa adicionou novos controles de anúncios e o reflexo disso foi sentido diretamente na receita gerada pelos canais.

Em comunicado publicado em seu blog oficial, o YouTube explica que “flutuações de receita” podem acontecer porque o serviço está “afinando” seu sistema de publicidade para atender a essa preocupação dos assinantes. Segundo fontes próximas à companhia, essa queda que muitos usuários estão relatando é fruto desses ajustes, e não uma queda resultante da redução de anunciantes.

Ainda assim, as perdas de investimentos por causa desse direcionamento equivocado de propagandas são significativas. De acordo com a empresa especialista em análise de mercado Nomura Instinet, o YouTube pode ter perdido nada menos do que US$ 750 milhões em receita nessa brincadeira — cerca de R$ 2,35 bilhões.

Diante dessa confusão, muitos youtubers começaram a formular teorias para explicar o que estava acontecendo. Um deles, responsável pelo canal DramaAlert, chegou a dizer que o Google tinha cortado os anúncios para canais com menos de 25 mil assinantes. A empresa logo se apressou em dizer que não era verdade. Outros usuários vieram confirmar a versão da companhia, dizendo que seus vídeos ainda estavam gerando receita — ainda que em menor quantidade do que antes.

Via: YouTube, Recode