Nova ferramenta do YouTube monetiza canais com “palmas”

Por Rafael Arbulu | 13 de Fevereiro de 2020 às 21h40
youtube
Tudo sobre

YouTube

Saiba tudo sobre YouTube

Ver mais

Uma função que usuários do Twitch já conhecem — a de doação financeira para streamers — está prestes a aparecer também no YouTube, mostrando que o portal de vídeos do Google está buscando emular formas bem-sucedidas de recompensar financeiramente criadores de conteúdo presente na plataforma.

O recurso “YouTube Viewer Applause” ainda está em seus estágios primários de testes e apenas alguns criadores de conteúdo (todos com mais de 100 mil inscritos e selecionados a dedo pelo próprio YouTube) estão com o acesso à função liberada, mas basicamente, ela funciona igual ao “Donate” do Twitch, onde o usuário, ao assistir a um vídeo ou transmissão ao vivo, paga um valor específico por uma animação de “bater palmas”, sendo que o dinheiro gasto é convertido em renda para o produtor daquele conteúdo. Ao contrário do Twitch, porém, o recurso do YouTube deve valer para live streamings e vídeos postados.

O YouTube confirmou ao The Verge que o valor por aplauso é de US$ 2 (R$ 8,71 na cotação de hoje), mas pretende integrar o recurso a outras funções de monetização de canal: “os fãs podem gastar até US$ 500 por dia ou US$ 2 mil por semana em Super Chats, Super Stickers e Viewer Applause, somando tudo”, diz um post publicado no blog Google Products. Para criadores de conteúdo com a função disponível, ela deve aparecer no painel de controle do canal e deve ser manualmente ativada. Para quem assiste aos vídeos e transmissões, o aplauso deve aparecer como um ícone específico próximo dos botões de Curtir/Descurtir.

O vídeo abaixo demonstra bem seu funcionamento:

Evidentemente, o YouTube está avaliando ferramentas que funcionam em outras redes de vídeos, traduzindo para o seu contexto essas novas funções. O Twitch tem em seu botão de doação um dos três pilares de sustentação da plataforma, sendo os outros dois a receita por anúncios e assinaturas pagas — uma delas, inclusive, também presente no YouTube. A rede de vídeos do Google informa que deve usar a mesma divisão financeira aplicada nos Super Chats para tirar a sua parte dos “aplausos”, ou seja, 30% do valor doado.

Métodos alternativos de monetização são algo em que o Google vem se concentrando bastante para o YouTube: o CEO da empresa, Sundar Pichai, disse em conferência recente com investidores que isso beneficia, ao mesmo tempo, criadores de conteúdo e o YouTube enquanto plataforma, e que deve dedicar recursos do Google para encontrar novos formatos.

Atualmente, o recurso de aplauso está em testes para Austrália, Brasil, India, Japão, Coreia, México, Nova Zelândia e Estados Unidos. Vale citar: “ter mais que 100 mil inscritos” não lhe dá acesso automático à ferramenta — o YouTube é quem escolhe os influenciadores a testar o recurso, que funciona somente na versão da plataforma para desktop.

Fonte: The Verge; Google Products

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.