Entenda o caso Marina Joyce e como o Twitter virou o grande detetive da internet

Por Redação | 27 de Julho de 2016 às 11h53

A noite desta terça-feira (26) foi bastante agitada no Twitter — e não teve nada a ver com MasterChef. A hashtag #SaveMarinaJoyce foi um dos assuntos mais comentados da rede social, engajou milhares de usuários de todo o mundo, além de deixar muita gente confusa sobre o que estava acontecendo e até virou caso de Polícia. Afinal, quem é Marina Joyce e por que ela precisava ser salva?

Tudo começou quando fãs da youtuber britânica Marina Joyce começaram a relatar um suposto caso de violência contra a webcelebridade. Com apenas 19 anos, a jovem tem pouco mais de 600 mil inscritos em seu canal e começou a chamar a atenção quando seus fãs começaram a reparar uma mudança em seu comportamento, além de aparentes marcas de agressão. Em seus últimos vídeos, aparentes hematomas podiam ser vistos em seu corpo, além de sinais de que ela própria estaria bastante transtornada.

Porém, foi quando um suposto pedido de socorro foi encontrado em um de seus vídeos que as coisas começaram a ficar realmente preocupantes. A hashtag logo começou a ser divulgada e a atrair mais curiosos, que se uniram às “investigações” digitais em busca de novos indícios de violência contra a garota. A principal teoria era de que Joyce estava sendo mantida sob cárcere privado pelo seu próprio namorado, que a obrigava a continuar gravando vídeos para o YouTube.

Segundo fãs, Joyce sussurra pedindo ajuda aos 12 segundos do vídeo

Buscando evidências

Parece uma hipótese louca, digna de um seriado ruim de TV. Porém, o CSI que se formou no Twitter encontrou várias evidências que reforçavam essa tese. Desde imagens de janelas com grades ao som de uma possível corrente que a youtuber estaria usando, nada passou despercebido pelos olhos e ouvidos atentos dos investigadores, que começaram a se preocupar ainda mais com a segurança da jovem e com seu estado físico e emocional.

Como dito, as primeiras pistas eram os próprios hematomas e o comportamento de Joyce em seus últimos vídeos. Isso atentou fãs e demais usuários para outros elementos que apareciam em seu canal. Exemplo disso era a presença constante de uma espingarda em seu quarto, algo um tanto incomum para uma garota britânica de 19 anos.

Além disso, as suas mensagens nas redes sociais também começaram a ser analisadas. Seja com respostas confusas ao responder se estava ou não bem até possíveis mensagens cifradas pedindo ajuda, absolutamente tudo acabou entrando no radar dos internautas, que se reuniram em torno da hashtag para compartilhar cada descoberta.

As suspeitas de abusos de seu namorado surgiram quando ela começou a aparecer abalada nos vídeos, dando olhares nervosos para fora da câmera. Para completar o cenário, uma mão masculina aparece rapidamente no canto do quadro, o que serviu para fundamentar a tese de que ela estava sendo violentada pelo companheiro.

A própria Joyce também teria ido ao seu Twitter convocar os fãs para um encontro em Londres na manhã de terça-feira. Porém, muitas pessoas disseram que foram ao local indicado e não encontraram a garota. Para deixar tudo mais misterioso, uma transmissão no Periscope feita por ela trazia apenas uma tela preta e estranhos barulhos ao fundo — o que apenas deixou tudo ainda mais suspeito.

Caso de polícia

Diante de toda a repercussão em torno da hashtag, o tema acabou virando caso de polícia. De acordo com o jornal britânico Mirror, a polícia local ficou sabendo das suspeitas e foi realizar uma checagem em sua residência, onde não encontrou nada de errado. Segundo os oficiais, a garota está segura e bem.

É claro que nem todo mundo acreditou nessa versão e muitos ainda seguem suspeitando de que há algo de errado com a garota — mesmo com ela vindo às redes sociais dizer que não há com o que se preocupar. Por outro lado, usuários mais críticos passaram a acusar a jovem de criar um falso caso de polícia para promover seu canal e ser conhecida em todo o mundo.

Via: Mirror, Twitter, BuzzFeed, Portal6